Deputado mineiro aciona PF e MPF contra hit ‘Verdinha’, de Ludmilla

ludmilla 900x506 Deputado mineiro aciona PF e MPF contra hit Verdinha, de Ludmilla

O parlamentar Cabo Junio Amaral argumenta que a música faz apologia à prática de condutas criminosas, como o plantio, a venda e o consumo de drogas. As informações são d’O Tempo

O novo hit “Verdinha”, da cantora de funk Ludmilla, não caiu muito bem no gosto musical do deputado federal mineiro Cabo Junio Amaral (PSL). Tanto é que, nesta terça-feira (3), o parlamentar fez uma saga em órgãos federais pedindo providências sobre a canção que, segundo ele, “faz clara apologia à prática de condutas criminosas, como o plantio, a venda e o consumo de drogas”.

Saiba mais: Ludmilla lança ‘Verdinha’ com letra sobre maconha, veja o clipe

O político registrou uma notícia-crime contra a artista na Polícia Federal (PF) solicitando investigação policial e a instauração de um processo penal, e protocolou uma representação ao Ministério Público Federal (MPF) pedindo a imediata retirada de circulação do single. Ele também apresentou um requerimento na Câmara dos Deputados pedindo aprovação de moção de repúdio a música.

Para o deputado, o refrão da música – “Eu fiz um pé lá no meu quintal/ Tô vendendo a grama da verdinha a um real” – faz alusão a plantar, vender e usar maconha. Ele também cita outros trechos da canção em que a funkeira canta que ficou “locona, chapadona, só com a marola da Ruhama” em que, segundo ele, foi abreviada a palavra “marijuana”, um dos nomes para a maconha.

Cabo Junio Amaral alega que o single é “infeliz” e serve de estímulo para a prática de condutas criminosas por parte de milhões de crianças e adolescentes que ouvem a cantora. “A moção de repúdio que apresentei contra essa senhora, que muitos chamam de artista, é muito mais simbólica para demonstrar que o poder Legislativo não está dormindo em relação a essas ações absurdas contra a nossa juventude. Ela exerce a sua influência junto aos jovens, e isso é de uma dimensão degradante imensurável. E também fui à Polícia Federal e ao Ministério Público porque é uma clara apologia ao uso, consumo e tráfico de drogas”, explicou.

No hit, lançado na última semana, Ludmilla não faz qualquer menção ao termo maconha que, pela lei vigente no Brasil, é considerada ilícita. Já no clipe a funkeira aparece fumando cigarro em uma plantação de alface.

Ludmilla rebate a acusação em tweet

Leia também:

Rapper Lil Wayne lança linha de maconha de alta potência

#PraCegoVer: foto (de capa) em primeiro plano de Ludmilla, de lado e olhando para a câmera, vestida com chapéu e jaqueta jeans, com metade do cabelo preto caindo pelos ombros (e a outra metade verde-claro), dentro de uma estufa. Crédito: Divulgação | Clipe.

Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário