Dama do Gelo, a múmia siberiana de 2.500 anos encontrada com tatuagens e maconha

dama do gelo mumia Dama do Gelo, a múmia siberiana de 2.500 anos encontrada com tatuagens e maconha

A preservação do esqueleto da mulher impressionou os pesquisadores que conseguiram identificar suas tatuagens e um pote de maconha perto de seu corpo. Com informações das Aventuras na História

Em uma câmara mortuária subterrânea, a Dama do Gelo é uma mulher siberiana que foi encontrada mumificada em ótimo estado de conservação no ano de 1993, pelo grupo de pesquisa do Instituto de Arqueologia e Etnografia Russa em Novosibirsk.

A descoberta da Dama foi extremamente representativa da cultura Pazyryk, que prosperou nos estepes siberianos durante o século 6 e o 2 a.C.. A tumba da múmia está próximo da fronteira chinesa, em uma parte da Eurásia de ar severamente seco.

Em meio a uma estrutura de toras de madeira entalhadas, esses materiais orgânicos permitiram que o enterro da Dama do Gelo pudesse ser datado, inclusive, com as informações levantadas foi possível descobrir que sua morte se deu na primavera, em meados do século 5 a.C..

Em seu caixão havia duas tábuas de madeira, com carnes de cavalo e carneiro, além de resíduos de um produto de origem láctea, encontrado em um vaso. Outra bebida era servida para o tão esperado pós-vida da Dama, em um chifre que serviria como copo.

Mesmo com o cadáver em bom estado, as causas de sua morte não foram solucionadas até 2014, quando um estudo identificou o óbito devido a um câncer de mama, juntamente com os machucados adquiridos a partir de uma queda. A dor sentida por ela enquanto viva foi, possivelmente, tratada com uso de cannabis, encontrado em um pote perto de seu corpo.

Leia mais: A incrível história de 10.000 anos que a humanidade compartilha com a cannabis

Outro detalhe que chama atenção em seu corpo são as tatuagens aparentes ainda em sua pele. Em um de seus ombros, uma espécie de veado está pintada, além de uma imagem semelhante em seu dedão e no pulso.

Por mais cuidadosa que a escavação do esqueleto mumificado tenha sido, ela rendeu alguns problemas para a Dama do Gelo. O método utilizado para descongelar o gelo que a envolvia e tirar os artefatos de sua tumba foi grande culpado disso, mesmo o transporte dela em um ambiente refrigerado não foi o suficiente para que partes de suas tatuagens começassem a desaparecer.

Além da deterioração, a remoção do cadáver de seu local de descanso gerou atritos entre autoridades russas e a população do lugar de onde a Dama do Gelo vinha. 19 anos após sua descoberta ela ficou em um instituto científico russo, e em 2012 foi levada para um mausoléu especial no Museu Republicano Nacional da cidade de Gorno-Altaisk.

Por mais que o local em que a Dama do Gelo tenha sido encontrada ainda possa preservar alguns artefatos históricos, ele é proibido de ser escavado para novas pesquisas arqueológicas.

Leia também:

Bolsa de 1.000 anos de idade revela as drogas consumidas pelos indígenas americanos

#PraCegoVer: fotografia (de capa) que mostra a dama do gelo da cintura para cima, na diagonal, sobre uma superfície preta e com parte do corpo coberta por uma fina manta branca; detalhe para as tatuagens que podem ser vistas em seu braço. Foto: Wikimedia Commons.

lazy placeholder Dama do Gelo, a múmia siberiana de 2.500 anos encontrada com tatuagens e maconha

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!