Curando Ivo: família obtém salvo-conduto para cultivo e produção artesanal de cannabis medicinal

curando ivo salvo conduto habeas corpus cultivo maconha Curando Ivo: família obtém salvo conduto para cultivo e produção artesanal de cannabis medicinal

Decisão inédita no estado de Goiás concedeu a pai e filho salvo-conduto que impede agentes policiais federais e estaduais de prenderem, investigarem ou processarem os pacientes pelo cultivo, uso, porte e produção artesanal de cannabis para fins medicinais

A Justiça Federal de Goiás concedeu na última segunda (13), por meio de habeas corpus preventivo, o direito de cultivo de cannabis à família Suzin, concedendo a pai e filho proteção legal para o “cultivo, uso, porte, produção artesanal de cannabis (maconha) e importação de sementes para fins terapêuticos”. Seu Ivo, diagnosticado precocemente com Alzheimer, ficou conhecido e teve projeção nacional ao ter sua história contada por seu filho nas redes sociais, e desde então é um dos símbolos da luta pela maconha medicinal.

“É bastante evidente o excesso em se permitir a persecução penal a quem — valendo-se de sua autodeterminação, e diante de uma doença incurável e que impõe sofrimento físico e psíquico — recorre ao uso de entorpecentes com o objetivo de aliviar o sofrimento (ou obter uma melhora nos sintomas da doença)”, pondera a decisão favorável do juiz.

Saiba mais – Curando Ivo: a(s) história(s) por trás do vídeo

Desta forma, segundo a decisão, agentes policiais (civis, federais ou militares) são impedidos de buscar prisão, apreensão ou investigação dos pacientes Ivo Suzin e seu filho, Filipe Barsan Suzin, que foi diagnosticado em 2009 com leucemia mieloide crônica, doença potencialmente letal e sem cura, pelo consumo, plantio e/ou produção artesanal de cannabis em sua residência, bem como pela importação de sementes na quantidade para plantio próprio.

“O pedido de salvo-conduto abrange o transporte/remessa de plantas e flores para teste de quantificação, análise de canabinoides e extração do óleo medicinal, aos órgãos, entidades e instituições de apoio e pesquisa, universidades, desde que identificadas como pertencentes aos pacientes Ivo ou Filipe”, diz a decisão. “Este salvo-conduto NÃO autoriza os pacientes a venderem ou cederem a planta cannabis, sementes ou derivados para consumo ou comercialização por terceiros”.

“Cultivar é a solução se você quer a curto prazo um tratamento para quem você ama e precisa cuidar”

Filipe conta à Smoke Buddies que, passada a emoção da vitória, com direito a choro e emoção, fica a certeza de um processo bem construído, ao lado de um time de advogados parceiros, longo e minucioso, com documentos, laudos médicos e embasamento para garantir o direito à tranquilidade da família.

“No fim, eu acordei com uma ligação falando que eu posso ficar tranquilo, posso tratar meu pai tranquilamente, sem medo de perder essa medicina, sem medo de viver tudo aquilo de volta”, diz ele. “Foi uma decisão que ajudou dois pacientes. Ainda tem muita gente que precisa, mas foi um passo incrível. É o 1º habeas corpus do estado, então abre uma porta para outras ações”.

A data por pouco não coincide com o marco de um ano de tratamento de seu Ivo com óleo de cannabis — e cujos resultados, registrados com dedicação no perfil do Instagram, também são dignos de celebração. “Outra coincidência é que meu pai começou a tratar com 58 anos, e foi o 58º habeas corpus [do país]”, ele completa.

View this post on Instagram

Nem sei por onde começar, mas hoje 14 de janeiro com toda a certeza um dos dias mais marcantes da nossa familia! Dia que tivemos pela justiça nosso direito impagável de ter nossa medicina cultivada dentro de casa, sem medo, sem riscos, remédio direto do jardim!! Quando tempo de luta, aflição, medo de perder nossas plantas e perder tudo que se foi construído esse ano, perder a qualidade de vida, mas GRAÇAS A DEUS, Graças a meus competentes advogados Dr. @jamilissy @yuritejota Danúbio, colaborações da @redereforma E outros grandes profissionais da área, assim como muita gratidão ao amigo e médico Dr. @jcnormanha não tenho palavras para agradecer, em nome da minha família nossa eterna Gratidão por fazerem minha família continuar com segurança tendo qualidade de vida! VOCÊS MUDARAM A NOSSAS VIDAS! 🙏❤ ▫️ E que mais e mais permissões acontecem nesse ano de 2020! ▫️ É agradecer muito a todos que sempre torceram, lutaram, apoiaram a causa, torceram, participaram, Gratidão imensa a todos pelas boas energias e que 2020 seja um ano de muita medicina e muitas maravilhosas colheitas para todos nós! 🙏

A post shared by Seu Ivo (@curandoivo) on

O ano que, para o jovem barista, começou bom, será focado na planta, no aprendizado sobre o cultivo e extração e no compartilhamento de informações e conhecimento sobre este universo.

“Acredito que vou poder expandir muito mais o tratamento do meu pai, vou ter mais possibilidade de pedir ajuda, não vou ter medo, então posso correr mais atrás, falar sobre o assunto com outros, falar que estou plantando, pedir ajuda“, ele diz. “Meu papel para este ano é mostrar da onde vem a medicina, que agora eu posso mostrar a planta, mostrar de onde vem. Vou querer compartilhar isso tudo, como extrair, quero levar conhecimento”.

Leia também: 

Insônia: paciente de 77 anos ganha na Justiça aval para cultivar maconha

#PraCegoVer: Print de vídeo traz o Sr. Ivo Suzin em um momento de afeto com sua esposa, Dona Solange Barsan. Imagem: Reprodução | Curando Ivo (@curandoivo).

lazy placeholder Curando Ivo: família obtém salvo conduto para cultivo e produção artesanal de cannabis medicinal

Sobre Thaís Ritli

Thaís Ritli é jornalista e observadora do feminino no universo da cannabis, que se traduz em colunas mensais sobre o tema na Smoke Buddies.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!