Crise de coronavírus mostra que maconha é essencial e mainstream

cannabis flor oscar 2020 Crise de coronavírus mostra que maconha é essencial e mainstream

O surto de Covid-19 revela o quanto evoluiu a aceitação popular da maconha e como a mesma é essencial para a manutenção da vida. Confira como os estados americanos estão adotando medidas para manter o acesso à cannabis durante a pandemia, em artigo publicado na Forbes e traduzido pela Smoke Buddies

Nunca ficou tão claro como durante a atual pandemia do COVID-19 que a maconha chegou à linha de frente do mainstream da sociedade americana.

Estado após estado, governadores e autoridades de saúde pública consideram as empresas de cannabis operações “essenciais” que podem permanecer abertas em meio a fechamentos forçados relacionados ao coronavírus e mandatos de quarentena. As pessoas podem não ser capazes de jogar boliche ou assistir a um filme nos cinemas, mas ainda podem estocar maconha.

lazy placeholder Crise de coronavírus mostra que maconha é essencial e mainstream

Não faz muito tempo que alguém que cultivava e vendia maconha corria o risco de ser preso, processado e encarcerado. Mas agora, na era da expansão da legalização, os fornecedores de cannabis em muitos estados são considerados membros vitais da comunidade, que prestam um serviço valioso a par de buscar medicamentos prescritos em uma farmácia ou encher seu carro em um posto de gasolina.

Grupos de defesa pressionaram governadores e autoridades estaduais para garantir que os pacientes de maconha medicinal em particular possam manter o acesso à cannabis de que precisam. Mas como muitas pessoas que usam maconha para fins terapêuticos não necessariamente pulam os arcos necessários para se tornarem oficialmente certificadas como pacientes, as empresas recreativas também são vistas como pontos de acesso cruciais que precisam permanecer abertos.

Leia mais – Coronavírus: negócios de maconha são considerados essenciais nos EUA

“A maioria do público estadunidense e um número crescente de líderes do governo pararam de comprar a demonização da cannabis anos atrás”, disse Karen O’Keefe, diretora de políticas estaduais do Marijuana Policy Project. “Agora, não apenas dois terços dos estados reconheceram que a cannabis medicinal deve ser legal — com 11 legalizando o uso adulto — como muitos estão reconhecendo que o acesso seguro à cannabis é essencial”.

O diretor executivo da NORML, Erik Altieri, disse que é “encorajador ver a política pública de nosso país na prática finalmente alcançando o ponto em que a grande maioria dos americanos está há anos”.

“O reconhecimento pelas autoridades do governo de que a cannabis não está aqui apenas por estar, mas uma parte essencial da vida de milhões de americanos — principalmente na comunidade de pacientes — é um movimento bem-vindo na direção certa”, disse ele. “É também um movimento que não poderia ter chegado em um momento melhor para aqueles que ainda precisam de acesso para manter a qualidade de vida durante esses tempos difíceis”.

Em alguns estados, as autoridades promulgaram novas políticas temporárias, como serviços de entrega ampliados ou retirada na calçada, que facilitam para os consumidores obterem maconha, respeitando as medidas de distanciamento social. Outros estão permitindo que os médicos emitam recomendações médicas de cannabis via telemedicina, em vez de exigir que eles realizem exames pessoalmente.

Veja a seguir como os estados estão adotando medidas para manter o acesso legal à maconha durante o surto de COVID-19:

Califórnia

Os reguladores consideraram os pontos de venda de cannabis como negócios essenciais que podem permanecer abertos em meio a um pedido mais amplo de quarentena. Localidades, incluindo o condado de Los Angeles e San Francisco, também disseram que certas empresas de cannabis são fornecedores essenciais que podem continuar as operações.

Colorado

O governador Jared Polis (D) emitiu uma ordem executiva permitindo que as empresas de maconha prestem serviços de coleta na calçada e que os médicos emitam recomendações de cannabis medicinal via telemedicina sem exames presenciais. Os reguladores também emitiram regras de emergência para afrouxar temporariamente os requisitos para impressões digitais dos empresários de maconha, modificação de instalações e transferência de amostras de produtos de cannabis para testes.

Connecticut

Os reguladores consideraram os negócios de cannabis medicinal essenciais e, portanto, isentos de um mandato geral para suspender as operações pessoalmente.

Flórida

O ‘surgeon general’ (cargo de liderança nos assuntos de saúde) do estado emitiu uma ordem permitindo que os médicos emitissem recertificações de cannabis medicinal para pacientes existentes — mas não novos — via telemedicina.

Illinois

ordem de quarentena do governador JB Pritzker (D) declara dispensários de maconha e instalações de cultivo como negócios essenciais que podem permanecer abertos. Os dispensários também estão sendo autorizados a fazer vendas restritas de cannabis medicinal — mas não maconha recreativa.

Maryland

Produtores de cannabis medicinal, processadores e dispensários estão isentos de uma ordem emitida pelo governador Larry Hogan (R) para fechar negócios não essenciais. Os reguladores também estão permitindo que os dispensários entreguem maconha medicinal aos pacientes nos estacionamentos.

Massachusetts

O governador Charlie Baker (R) emitiu uma ordem de quarentena, considerando que as empresas de cannabis medicinal — mas não as de maconha recreativa — são essenciais e isentas de uma paralisação geral. Os reguladores também incentivaram os serviços de entrega de cannabis medicinal a promover e expandir suas ofertas e estão permitindo que os médicos recomendem remotamente a maconha aos pacientes através do uso de telessaúde.

Michigan

Empresas de maconha serão capazes de continuar as vendas na calçada e entregas em domicílio, mas não podem realizar transações pessoalmente em lojas sob uma ordem de quarentena emitida pelo governador Gretchen Whitmer (D). Os reguladores já haviam enviado um boletim permitindo a retirada na calçada e incentivando os serviços de entrega, e outro boletim estendendo o período de status de pré-qualificação para os solicitantes de licenças comerciais de maconha que podem sofrer atrasos na construção.

Nova Jersey

O governador Phil Murphy (D) isentou dispensários de cannabis medicinal a partir de uma ordem de quarentena.

Novo México

Os reguladores determinaram que os negócios de cannabis medicinal são essenciais e podem permanecer abertos. Eles também permitiram serviços de coleta na calçada, validade e cartões de cuidadores de pacientes estendidos por 90 dias e suspensão das verificações de antecedentes para novos funcionários do setor.

Nova York

O Departamento de Saúde do estado considerou que os fornecedores de cannabis medicinal são empresas essenciais, não sujeitas a uma ordem geral de fechamento. Aqueles que estão autorizados a realizar entrega em domicílio têm permissão temporária para expandir esses serviços sem aprovação por escrito.

Ohio

ordem de quarentena do governador Mike DeWine (R) isenta as empresas de cannabis medicinal de uma paralisação mais ampla dos negócios. O Conselho Médico Estadual também se moveu para permitir que os médicos emitam recomendações de cannabis medicinal via telemedicina sem se encontrar com os pacientes pessoalmente. Além disso, os reguladores estão permitindo que os pacientes façam pedidos por telefonem antes da chegada aos dispensários para reduzir o tempo gasto no interior.

Oregon

Os reguladores aprovaram regras para permitir a entrega de maconha na calçada em lojas licenciadas e aumentar os limites de vendas de cannabis medicinal. Eles também se moveram para facilitar a obtenção de autorizações de trabalho para cannabis.

Pensilvânia

Os reguladores consideraram os fornecedores de cannabis medicinal como operações de “manutenção da vida” isentas da ordem do governador Tom Wolf (D) de fechar negócios em geral. Eles também tomaram outras medidas, incluindo permitir que os pacientes recebam maconha em seus carros fora dos dispensários e permitir que os cuidadores façam entregas para um número ilimitado de pacientes.

Estado de Washington

Os reguladores estão permitindo que as empresas de maconha realizem serviços na calçada para pacientes de cannabis medicinal.

Apesar do número significativo de estados que consideram essenciais os negócios de cannabis e emitiram decisões expandindo temporariamente seus serviços, esse não é o caso em todos os mercados legais de maconha.

Em Nevada, por exemplo, o governador Steve Sisolak (D) e os reguladores estão exigindo que todas as vendas sejam feitas via entrega, fechando efetivamente as empresas que possuem apenas operações em lojas físicas.

E apesar das acomodações, muitos reguladores também estão direcionando as empresas a implementar medidas de distanciamento social, como limites no número de clientes que podem entrar em uma operação de varejo em um determinado momento ou orientações sobre espaço físico entre aqueles que estão na fila — mudanças que podem desacelerar as operações e reduzir a receita.

Leia: Líderes mundiais da indústria canábica se unem para enfrentar crise do coronavírus

Ainda assim, muitos líderes da indústria parecem entender a necessidade de saúde pública de tais medidas, o escritório de advocacia de cannabis Vicente Sederberg LLP, por exemplo, emitiu um conjunto de diretrizes voluntárias sugeridas para as empresas de maconha considerar.

Por enquanto, os rastreadores da indústria indicaram que as vendas estão fortes à medida que os consumidores estocam em preparação para ficar em casa por várias semanas.

No entanto, a indústria pediu ao Congresso que lhe desse acesso igual aos fundos de assistência a desastres — um pedido necessário pelo fato de a proibição federal em curso significar que suas operações ainda são ilegais e geralmente não são elegíveis para esse tipo de auxílio.

Quando se trata de consumidores, embora os defensores os alertem para que se abstenham de fumar ou vaporizar por enquanto, devido ao risco de prejudicar os pulmões em meio aos efeitos respiratórios do novo coronavírus, eles também apontaram que existem outras maneiras de usar cannabis, como comestíveis.

Por enquanto, a pandemia de coronavírus destacou ainda mais a desconexão entre as políticas federais e estaduais: sob um conjunto de leis, a cannabis é uma droga proibida e, sob o outro, é um medicamento considerado tão essencial quanto qualquer outro.

Leia também:

Tecnologias da indústria canábica podem ajudar no combate ao Covid-19

#PraCegoVer: em destaque, fotografia em plano fechado da inflorescência apical de um pé de maconha, com pistilos brancos e folhas verde-escuro serrilhadas, na parte esquerda da imagem, e, ao fundo, desfocado, luzes amarelas em efeitos bokeh. Foto: THCamera Photography.

lazy placeholder Crise de coronavírus mostra que maconha é essencial e mainstream

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!