Covid-19 impulsiona vendas de maconha na América do Norte e ações do setor sobem

buds branco piqsels Covid 19 impulsiona vendas de maconha na América do Norte e ações do setor sobem

Enquanto a ameaça da Covid-19 se intensifica na América do Norte e as vendas de maconha disparam, setor canábico pode representar um movimento defensivo na baixa de mercado. Com informações da Investing.com

Vamos fazer uma enquete rápida: o que o papel higiênico e a maconha têm em comum?

A semelhança entre eles é que, em uma crise, as pessoas querem estocar os dois.

Sim, enquanto a economia colapsa, as ações da maconha na América do Norte — pelo menos algumas delas — estão mostrando sinais de alta, na medida em que as pessoas que foram obrigadas a permanecer em casa ou optaram pelo autoisolamento sentem a necessidade de estocar. O resultado é que as vendas de maconha subiram na última semana na região.

Leia mais: Quarentena faz americanos correrem para estocar maconha

Além disso, os governos provinciais no Canadá e estaduais nos EUA onde a marijuana é legal consideraram que a substância é um item essencial, isto é, até mesmo em jurisdições norte-americanas com os mais rígidos protocolos de isolamento, as lojas de cannabis podem permanecer abertas.

Venda de maconha disparam

Na semana passada, enquanto a ameaça da Covid-19 se intensificava na América do Norte e as vendas de maconha disparavam, Chris Carey, analista do Bank of America, comentou que o setor da cannabis poderia representar um movimento defensivo na baixa de mercado.

Carey apontou mais especificamente para a Aphria, elevando sua classificação para “compra” e explicando que a empresa sediada em Ontário poderia aumentar sua participação de mercado no Canadá, segundo a BNN Bloomberg.

“Nossas verificações na América do Norte foram consistentes. Independente da região, as compras de cannabis aceleraram”, declarou Carey em uma nota aos investidores.

No final da semana passada, as ações da Aphria saíram da mínima de US$ 1,97, na quarta-feira (18), e atingiram US$ 2,72 na sexta-feira (20). Elas fecharam a US$ 2,51 na semana passada e se valorizaram levemente ontem ao final do dia para US$ 2,54.

Papéis da Tilray sobem

A Aphria não foi a única ação da maconha a ganhar terreno na semana passada. Os papéis da Tilray também subiram. Eles mais do que dobraram de 19 a 20 de março, saindo da mínima de US$ 2,56 na abertura da última quinta-feira para atingir a máxima semanal a US$ 5,03. A ação fechou ontem a US$ 3,85.

Fusão cria maior empresa de canabidiol

As ações da Charlotte’s Web, uma das maiores extratoras mundiais de óleo de canabidiol (CBD), valorizaram-se mais de 5% na segunda-feira após anunciar uma fusão com a Abacus Health Products, empresa sediada em Toronto e especializada em produtos analgésicos e de cuidado da pele à base de extratos de canabinoide. Suas ações fecharam a US$ 3,52 no mercado americano.

acordo de US$ 68,2 milhões cria a maior empresa verticalmente integrada de CBD derivado de cânhamo do mundo.

Nos termos do acordo, os acionistas da Abacus receberão 0,85 de uma ação ordinária da Charlotte’s Web por cada ação da Abacus que detiverem. A nova empresa terá uma participação de 35% no mercado de CBD americano, segundo a empresa, em um anúncio conjunto emitido na segunda-feira (23).

Os papéis da Abacus se valorizaram mais de 21,5% na segunda-feira, a US$ 2,41 nos mercados OTC americanos, enquanto os papéis na bolsa de valores do Canadá subiram cerca de 22,8%, finalizando o dia a C$ 3,50.

Leia também:

Crise de coronavírus mostra que maconha é essencial e mainstream

#PraCegoVer: foto (de capa) em plano fechado que mostra uma porção de buds de maconha sobre uma superfície branca e suas sombras formadas pela luz que vem da direita. Imagem: Piqsels.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!