Coronavírus: negócios de maconha são considerados essenciais nos EUA

frascos flores buds Coronavírus: negócios de maconha são considerados essenciais nos EUA

Em meio a uma quarentena, apenas negócios essenciais podem abrir suas portas, como farmácias, postos de gasolina e dispensários de cannabis. As informações são da NPR, com tradução Smoke Buddies

Quando San Francisco, na Califórnia, anunciou seu pedido de “abrigo no local” esta semana, disse que apenas “negócios essenciais” poderiam permanecer abertos para atender às necessidades do público, como supermercados e postos de gasolina. Faltavam nessa lista dispensários de maconha.

Mas um dia depois que os moradores foram instruídos a ficar em casa, a cidade revisou sua posição e considerou a cannabis “um medicamento essencial”, permitindo que as lojas fossem abertas.

lazy placeholder Coronavírus: negócios de maconha são considerados essenciais nos EUA

A prefeita London Breed anunciou “ajustes” na ordem de saúde pública da cidade emitida no dia anterior. Originalmente, disse que empresas essenciais, incluindo bancos e farmácias, poderiam permanecer abertas enquanto os residentes fossem obrigados a ficar em suas casas.

Agora, dispensários e entregas de maconha são considerados críticos.

Leia: Empresas de maconha se desdobram para atender delivery diante surto de Covid-19 nos EUA

“Sabemos que esta é uma situação em evolução”, disse Breed na conferência de imprensa de terça-feira à noite.

“Em termos de dispensários de cannabis, o Departamento de Saúde Pública esclareceu hoje que, como a cannabis tem uso médico, os dispensários poderão operar como negócios essenciais, assim como as farmácias”, acrescentou.

Após o anúncio inicial da cidade ordenando que os moradores permanecessem dentro de casa “com a única exceção para necessidades essenciais”, autoridades do departamento de saúde da cidade e de seu Escritório de Cannabis entraram em contato com os líderes locais da indústria da maconha, de acordo com o SFGate.

O site de notícias observa que os líderes da cidade reconheceram que “a situação é fluida” e as autoridades da cidade estavam trabalhando para “elaborar uma estratégia” para permitir que as empresas de maconha apoiassem os moradores que precisavam acessar seus produtos.

Na noite de terça-feira, o Departamento de Saúde de San Francisco twittou que os dispensários podem “operar como empresas essenciais”, ao mesmo tempo em que sugerem que sejam seguidas recomendações de distanciamento social.

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou na quarta-feira uma ordem executiva direcionando as empresas não essenciais do estado a implementarem políticas de teletrabalho nesta sexta-feira. As empresas isentas da lista incluem supermercados, mídia, bancos e outras instituições financeiras.

Leia mais: Esforço para reforma da maconha ajuda no combate a Covid-19, diz governador de NY

Buscado por esclarecimentos, um porta-voz do governador disse à NPR que “as organizações registradas no Programa Estadual de Maconha Medicinal são provedores médicos essenciais e terão permissão para permanecerem abertas”.

Isso ocorre quando o governador e o prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, estão em desacordo sobre se uma ordem de “abrigo no local” deve ser efetivada. O prefeito disse na terça-feira: “Os nova-iorquinos devem estar preparados agora para a possibilidade de uma ordem de abrigo no local”. Mas na quarta-feira, o governador reiterou seu desconforto com a emissão dessa ordem, dizendo: “você fecha negócios quando realiza um ‘abrigo no local’, isso não faz sentido para mim”.

Além disso, o Departamento de Regulamentação Financeira e Profissional de Illinois emitiu novas diretrizes temporárias, relaxando onde as vendas de maconha medicinal podem ocorrer para “ajudar a reduzir o contato entre indivíduos”.

O estado agora “permitirá que o dispensário venda cannabis medicinal nas propriedades do dispensário ou em uma passarela pública ou calçada adjacente ao dispensário”, anunciou o estado na terça-feira.

Antes da ordem de “abrigo no local” em San Francisco entrar em vigor à meia-noite de terça-feira, havia relatos de longas filas fora dos dispensários. Outros municípios do estado também anunciaram restrições radicais.

Alguns dispensários dos EUA decidiram fechar suas portas à luz da crise. A Organic Alternatives, em Fort Collins, Colorado, disse que estava tentando impedir reuniões em sua loja e encerrou temporariamente as operações “até novo aviso”, citando “a falta de disponibilidade de testes para o COVID-19 em nossa comunidade”.

“Como uma empresa de longa data nesta comunidade, sentimos que é nossa responsabilidade fazer o possível para ajudar a impedir a propagação desse vírus”, disse o dispensário em sua página no Facebook.

Leia também:

O impacto do coronavírus no mercado canábico brasileiro e como você pode ajudar

#PraCegoVer: fotografia (de capa) que mostra, em perspectiva, quatro frascos transparentes contendo flores de maconha sobre uma prateleira de vidro, com foco em um deles, e paredes brancas, ao fundo. Imagem: Alaska Landmine | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!