Coronavírus: Gigante da maconha Leafly demite 91 funcionários

quarentena Coronavírus: Gigante da maconha Leafly demite 91 funcionários

Referência internacional em informação online sobre a maconha, a Leafly dispensou 39% da força de trabalho em decorrência do surto de coronavírus. Com informações do Marijuana Business Daily e tradução pela Smoke Buddies

A Leafly, de Seattle (EUA), informou na segunda-feira (23) que está reduzindo ainda mais sua força de trabalho como parte de uma resposta ao surto de coronavírus.

Leia também: Tecnologias da indústria canábica podem ajudar no combate ao Covid-19

lazy placeholder Coronavírus: Gigante da maconha Leafly demite 91 funcionários

“Hoje, a Leafly eliminou as posições de 91 funcionários em toda a empresa, 39% de nossa força de trabalho”, disse o CEO Tim Leslie, em comunicado, acrescentando que estava “de coração partido” com a decisão.

Leslie disse que a empresa continua a crescer, mas o coronavírus “colocou mais investimentos de capital que esperávamos em pausa”. Como resultado, ele disse, a empresa foi forçada a cortar custos.

Em janeiro, a Leafly cortou 54 funcionários e, um mês depois, encerrou suas operações na Alemanha. A empresa teve uma rodada menor de demissões em 2017, quando cortou 15 trabalhadores.

“Essa redução da força de trabalho (na segunda-feira) nos permitirá ser financeiramente auto-suficientes para podermos continuar”, observou Leslie.

Ele disse que a empresa está atualmente focada na implantação de “serviços de coleta e entrega para varejistas e marcas na América do Norte”.

Leia também: 

Canopy Growth fecha duas estufas e demite cerca de 500 funcionários

#PraCegoVer: Foto que mostra uma folha de maconha, com sete pontas (folíolos) serrilhadas que partem de sua base, em fundo infinito de cor rosa pastel. Imagem: THCamera Photography.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!