Como fazer comestíveis de cannabis com concentrados

bho mao haste Como fazer comestíveis de cannabis com concentrados

Em lugares onde a maconha é legalizada, consumidores podem transformar, em casa, concentrados de cannabis em comestíveis, produtos que trazem outra experiência para a hora da session. Saiba como no texto de Janelle Lassalle para o Leafly

Tenho uma caixinha cheia de concentrados de cannabis — é uma mistura de óleos antigos, concentrados com desconto que eram baratos demais para deixar passar, presentes de amigos e coisas do gênero. E embora eu sempre pretenda utilizá-los bem, às vezes passam-se meses antes que eu lembre que os tenho. Eu experimento e fumo um apenas para descobrir que é ‘duro’ e sem gosto; de volta na caixinha, ele deve ser verificado algumas semanas depois, quando estiver acabando a erva. É um ciclo interminável de ‘nonsenses’ quentes.

Depois de algumas pesquisas, percebi que há um uso melhor para concentrados antigos: cozinhe-os em comestíveis!

lazy placeholder Como fazer comestíveis de cannabis com concentrados

Se você não sabia que poderia usar seus restos de concentrados para fazer comestíveis potentes, quebre sua ‘stash box’ e prepare-se para cozinhar.

Leia mais – Cannabis: confira três diferentes formas de consumo

Considere o prato que você vai infundir

O primeiro passo para cozinhar com concentrados é pensar um pouco no produto final — você está fazendo, digamos, um molho simples para salada? Você pode optar por um destilado em vez de RSO, pois a forma concentrada do RSO pode deixar um sabor amargo.

“Todos os tipos de concentrados de cannabis podem ser usados ​​na culinária”, disse Jay Denniston, diretor de ciência da Dixie Brands. “No entanto, a miríade de diferentes tipos de concentrados, com variabilidade em potência, forma, sabor e aroma, pode criar dificuldades na escolha do tipo certo de produto para usar em um prato infundido”.

“Os óleos de cannabis de extrato completo, como o RSO, proporcionam um sabor e aroma botânicos mais pesados que os extratos cristalinos”, continuou Denniston. “Se um alimento for consumido em pequenas doses concentradas, como o azeite, o sabor do extrato de cannabis estará presente em um grau mais alto”.

Considere usar concentrados com sabores mais fortes (como RSO  ou extratos de espectro total) em comestíveis doces, onde o sabor pode ser mais efetivamente mascarado.

Denniston também sugeriu optar por alimentos ricos em gordura, como manteiga de amendoim, azeite de oliva ou ‘ghee’, pois eles aceitam mais facilmente concentrados para infusão.

Escolha seu concentrado

Conheça o seu concentrado antes de administrá-lo.

“Os concentrados que ocorrem nos estados semissólido a sólido, como resina viva, ‘terp souce’, ‘budder’, ‘wax’ e especialmente ‘sugar wax’, têm o potencial de conter grandes quantidades de THCA”, disse Denniston.

Para aqueles que se perguntam o que é THCA, é o composto não intoxicante que se converte no eufórico THC ao longo do tempo ou quando o calor é aplicado.

Alguns concentrados são mais fáceis de trabalhar do que outros. Os cristais isolados, por exemplo, geralmente vêm na forma de um pó branco que é fácil de manipular.

“A principal vantagem do uso do destilado é que ele é insípido, sem cheiro e completamente pronto para ser incorporado ao componente gorduroso da receita escolhida”, disse Troy Ivan, CEO e fundador da ExtractCraft.

O destilado, portanto, tem muito apelo, considerando sua potência e o fato de não precisar ser descarboxilado. No entanto, cada opção também traz seus próprios desafios.

“A desvantagem [com destilado] é que todos os outros canabinoides e componentes desejáveis ​​da cannabis foram propositalmente removidos”, disse Ivan. “Quaisquer benefícios sinérgicos e ‘efeito de comitiva’ contidos no óleo de espectro total não estão presentes no destilado e muitos argumentam que é menos medicinal com menor eficácia”.

Outros, como Brandin LaShea, chef e apresentador do programa de culinária digital Pot Pie, preferem seguir o caminho do RSO por sua facilidade de uso.

“Às vezes, prefiro usar certos concentrados como o RSO, porque você pode pular a etapa de descarboxilação e adicioná-los diretamente às suas receitas favoritas, o que facilita muito o processo para quem está começando”, disse LaShea.

Certifique-se de usar apenas concentrados com resultados de testes de laboratório de terceiros. Você quer ter certeza absoluta do que está colocando no seu comestível.

Dosagem de óleos de cannabis para comestíveis

A chave para ter uma boa experiência comestível é conduzir as coisas do baixo e devagar. Isso é especialmente importante quando se trata de produtos comestíveis caseiros, que são famosos por serem difíceis de dosar.

Você precisará de algumas informações básicas para calcular sua dose aproximada:

  • O peso do seu concentrado (em gramas);
  • A potência do concentrado (% de THC ou CBD);
  • O número de porções que o prato produz (por exemplo, “faz uma dúzia de biscoitos”).

Para calcular, use esta equação:

(peso do concentrado x % de THC x 1.000) / número de porções

  • Multiplique o peso do seu concentrado (em gramas) pela porcentagem de THC (como um decimal);
  • Multiplique esse número por 1.000 para converter gramas em miligramas;
  • Divida esse número pelo número de porções que sua receita gera para determinar os miligramas de THC por porção.

Por exemplo, 0,25 grama de um concentrado com 80% de potência de THC deve render cerca de 200 mg de THC: (0,25 x 0,80) x 1.000 = 200.

Então, 200 mg de THC distribuídos em 8 porções proporcionam a cada porção 25 mg de THC, assumindo uma distribuição uniforme (misture bem!).

Verifique se você já está familiarizado com a sua dose ideal e, em caso de dúvida, comece com uma dose muito baixa (entre 1 a 5 mg) e vá subindo até atingir a dose ideal.

Coronavírus faz consumidores optarem por comestíveis e extratos de maconha

Descarboxilando seu concentrado (se necessário)

Antes de cozinhar, você deve ter certeza de que seu concentrado é descarboxilado. Isso converte THCA não intoxicante em THC, que todos conhecemos e amamos.

Temperaturas mais altas são mais propensas a eliminar canabinoides valiosos e outros compostos, portanto, a descarboxilação baixa e lenta geralmente é o melhor caminho a percorrer.

Tirar seus concentrados dos recipientes pode ser complicado. Ivan aconselha o uso de um isqueiro para derreter concentrados presos a ferramentas metálicas ou grudar concentrados no congelador até que eles endureçam e possam ser facilmente removidos. “Seja cuidadoso. Se você deixá-lo no congelador por muito tempo, ele se tornará como vidro e se quebrará em pequenos fragmentos por todo o lugar”, alertou Ivan.

LaShea aconselha a descarboxilar cada tipo de concentrado da seguinte maneira:

BHO

Materiais necessários:

  • Quantidade desejada de BHO;
  • Assadeira;
  • Papel pergaminho;
  • Termômetro de forno.

Instruções:

  • Pré-aqueça o forno a 93 °C (200 °F). Certifique-se de usar o termômetro para testar a temperatura do forno antes de colocar o BHO.
  • Forre sua assadeira com papel pergaminho.
  • Coloque seu ‘wax’, ‘shatter’, ‘crumble’ ou ‘budder’ no centro da assadeira forrada de pergaminho.
  • Coloque no forno e asse por cerca de 20 a 25 minutos. Você vai querer observar muito de perto o seu concentrado e garantir que ele não cozinhe demais. Depois que derreter e começar a realmente borbulhar, você saberá que está pronto.
  • Retire do forno e deixe esfriar um pouco.

RSO

Materiais necessários:

  • Panela grande;
  • Óleo de cozinha (como óleo de canola);
  • Recipiente à prova de calor para óleo RSO ou CO2 (silicone ou vidro);
  • Quantidade desejada de óleo RSO ou CO2;
  • Colher para mexer;
  • Pinças;
  • Termômetro.

Instruções:

  • Encha uma panela com cerca de um quarto de óleo de cozinha.
  • Coloque o recipiente selado (recipiente de silicone ou vidro) com óleo RSO ou CO2 na panela com óleo.
  • Comece o aquecimento do óleo em fogo médio-baixo.
  • Aqueça o óleo a 93 °C (200 °F), observando atentamente e verificando a temperatura com seu termômetro. Quebre as bolhas com uma colher.
  • Quando atingir a temperatura de 200 °F, desligue o fogão e remova a panela do fogo.
  • Após cerca de 1-2 minutos ou quando as bolhas começarem a suavizar, remova o recipiente de concentrado do óleo com uma pinça. Você também pode deixá-lo dentro até que as bolhas parem completamente para obter um óleo mais potente com efeitos mais fortes.

Nota: a descarboxilação dos concentrados aumentará a espessura, sendo mais fácil trabalhar enquanto estiver um pouco quente.

Kief

Materiais necessários:

  • Quantidade desejada de kief;
  • Assadeira;
  • Papel pergaminho;
  • Espátula;
  • Termômetro de forno.

Instruções:

  • Pré-aqueça o forno a 93 °C (200 °F). Certifique-se de usar o termômetro para testar a temperatura do forno antes de colocar o kief.
  • Forre sua assadeira com papel pergaminho.
  • Espalhe o kief uniformemente no centro da assadeira.
  • Asse por 15-20 minutos, mexendo até a metade do tempo.
  • Retire do forno e deixe esfriar.

Selecione seu óleo de infusão

Óleos com alto teor de gordura saturada são as melhores opções como óleo de base para infusão, pois permanecerão estáveis ​​e em estado líquido à temperatura ambiente. Uma das minhas gorduras favoritas para esse fim é o óleo de abacate de alta qualidade.

“Manteiga à base de leite e gorduras animais não oferecem a mesma estabilidade e facilidade de uso”, observou Denniston.

Ele elogia o óleo MCT por seus muitos benefícios. “Um óleo derivado de planta exclusivo é o óleo MCT, que é derivado do coco, mas tem um alto teor de gordura saturada”, disse ele. “É esse conteúdo de gordura saturada que fornece energia rapidamente e um meio ideal para dissolver os concentrados de cannabis. Embora muitos óleos de coco virgens tenham sabor de coco, o óleo MCT é processado para remover esse sabor”.

Comece a cozinhar

Você já fez a maior parte do trabalho duro com a descarboxilação e infusão. Tudo o que resta é adicionar sua infusão a uma receita.

Você pode adicionar certos tipos de concentrados descarboxilados, como ‘shatter’, ‘budder’, ‘wax’ e ‘crumble’ diretamente a alimentos com alto teor de gordura ou óleo, desintegrando-os sobre a panela. Kief também funciona dessa maneira, embora alguns possam optar por cozinhar o kief em óleo antes de adicioná-lo diretamente a uma receita.

Se você estiver trabalhando com concentrados já descarboxilados como o RSO, adicione-o à gordura transportadora e derreta até dissolver, mexendo ocasionalmente. LaShea também observa que você não deve continuar cozinhando depois que o concentrado estiver dissolvido.

Contanto que sua receita permaneça abaixo de 300 °F, você pode optar por qualquer prato que seu coração pedir.

Depois de comer, espere até 2 horas para que os efeitos sejam ativados antes de comer mais, para que você não fique muito ‘alto’!

Tradução: Smoke Buddies.

Leia também:

Food & Wine: a arte de cozinhar com cannabis

#PraCegoVer: em destaque, fotografia em plano fechado que mostra parte de uma mão que segura uma pequena haste de cor marrom com uma porção de concentrado amarelo na ponta, que lembra a doce de leite, e um fundo em tons de marrom. Foto: Vjiced | Wikimedia Commons.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!