Clínica completa um ano de atendimento com medicina canábica

clinica gravital Clínica completa um ano de atendimento com medicina canábica

Com idade média de 47 anos, e mínima de 2 anos, sendo 52% mulheres e 48% homens, 36% dos pacientes atendidos na Gravital buscam tratamentos para ansiedade

Há exatamente um ano, a Clínica Gravital era inaugurada no Botafogo Medical Center, no Rio de Janeiro, e hoje é uma referência no atendimento a pacientes que buscam melhorar a qualidade de vida com medicamentos à base de cannabis.

No primeiro ano de funcionamento, a clínica atendeu centenas de pacientes, com idade média de 47 anos, e mínima de 2 anos, sendo 52% mulheres e 48% homens. Os produtos à base de cannabis agem no sistema endocanabinoide estimulando uma resposta satisfatória em tratamentos diversos. Na Gravital, 36% dos pacientes atendidos procuraram atendimento para ansiedade, 9% sofrem de mal de Parkinson, mesmo percentual para Alzheimer e fibromialgia, e 4% recebem tratamento para dores crônicas. Mesmo em situação de pandemia, a clínica conseguiu atender pacientes via telemedicina de todo o Brasil.

site sb Clínica completa um ano de atendimento com medicina canábica

O corpo médico da Clínica Gravital, que tem certificação internacional para prescrição de cannabis medicinal, hoje conta com os psiquiatras Pietro Vanni, que também é diretor técnico, e Júlia Garcia, a endocrinologista Thaís Perlingeiro e a neurologista Cláudia Miguelotti. Em setembro, foi inaugurada a filial em Porto Alegre, que conta com os psiquiatras Andressa Martins, Rodolfo Variani e Saulo Batinga. Para 2021, está previsto para o primeiro trimestre a abertura de uma nova unidade em Curitiba.

As patologias indicadas para o uso da cannabis medicinal aumentam a cada dia, tendo casos como autismo, esclerose múltipla, diabetes e epilepsia. “Neste um ano de funcionamento, a gente tem visto uma melhora muito significativa nos casos em geral, com uma resposta clínica adequada e muito rápida, dentro de uma semana, dez dias, e principalmente melhora no estado de ansiedade, e também dores crônicas. Os pacientes podem usar os canabinoides de forma isolada ou junto com outros medicamentos e das duas formas têm ocorrido bons resultados. Com os pacientes de diabetes, eu tenho visto que em alguns casos eles estão usando menos insulina e estão muito satisfeitos e isso é realmente muito importante para nós”, resume a endocrinologista Thaís Perlingeiro.

Leia mais: Benefícios terapêuticos da maconha no tratamento e prevenção do diabetes

O diretor técnico e psiquiatra Pietro Vanni considera que, em um ano de atuação com medicamentos à base de cannabis, foi extremamente recompensador. “Esse tratamento era algo que eu já acreditava e pude ver na prática que é uma medicina que, apesar de estar começando e ter muito potencial ainda, já se mostra muito eficaz para muitas doenças”, comenta. O diretor destaca ainda as dificuldades de acesso aos medicamentos devido ao custo, visto que em sua maioria são importados e cotados em dólar. “Essa dificuldade é agravada ainda pelo tempo da liberação do produto pela Anvisa e da importação dos produtos, e isso é angustiante visto que tem pacientes com urgência para iniciar o tratamento”, destaca Pietro Vanni.

Quadros clínicos

Várias condições médicas são beneficiadas pelo uso dos canabinoides, mas a dor crônica sem dúvida é a que impressiona no tratamento. “A melhora se dá não apenas nas dores, mas no estado geral do paciente, no humor e na disposição”, ressalta Vanni.

A pandemia do coronavírus que provocou o confinamento e isolamento social gerou um aumento de 166% nos casos de ansiedade nos meses de março a maio, comparado aos períodos de janeiro a março. “Uma das possíveis causas deste aumento da procura seria a exacerbação das angústias diante das crescentes incertezas dos tempos atuais — frente ao novo paradigma social, ou ‘novo normal’ como tem sido chamado”, analisa o psiquiatra Rodolfo Variani, que atende em Porto Alegre.

Não há saída milagrosa quando se trata de lidar com os problemas que o distanciamento social produz e com o estresse que a pandemia provocou na saúde e finanças. O que a maioria dos especialistas recomenda é se munir de ferramentas que possam ajudar a lidar melhor com essas situações, desde mais atenção à alimentação até garantir que o corpo esteja ativo e se movendo durante os dias.

“Esses hábitos não podem ser recuperados em um dia, eles levam tempo e esforço. O CBD pode ajudá-lo a acessar essas habilidades mais facilmente, interagindo com o sistema endocanabinoide e promovendo progressivamente a calma e o relaxamento, reduzindo os sintomas leves de estresse e depressão”, conclui o diretor técnico e psiquiatra da Clínica Gravital, Pietro Vanni.

Os óleos e produtos à base de cannabis produzem um efeito calmante, controlando pensamentos recorrentes, ideias ansiosas e espirais de ansiedade. Estudos clínicos com o canabidiol mostram que o composto proporciona alívio poderoso para diferentes tipos de ansiedade, sem os efeitos colaterais negativos que muitos medicamentos produzem.

Se você quiser saber se o tratamento de cannabis é eficiente para você, agende uma consulta com um dos profissionais especializados em terapias à base de cannabis. Clique aqui.

Este é um conteúdo publieditorial.

Leia também:

Artigos científicos sobre cannabis batem recorde em 2020

#PraCegoVer: em destaque, fotografia em vista superior que mostra parte de sala de consulta da Clínica Gravital, onde vê-se uma parede branca ilustrada com desenhos e informações sobre a cannabis e o sistema endocanabinoide. Imagem: divulgação.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!