Charlotte Figi, a criança que inspirou o movimento pelo CBD, morre aos 13 anos

charlotte figi capa Charlotte Figi, a criança que inspirou o movimento pelo CBD, morre aos 13 anos

Figi foi a inspiração para o nome dos produtos Charlotte’s Web. Sua história mudou a maneira como o público vê a maconha. As informações são do Colorado Sun, com tradução Smoke Buddies

Charlotte Figi, a garota de Colorado Springs que, como uma criança alegre e frágil, lançou um movimento que levou a mudanças radicais nas leis de maconha em todo o mundo, morreu de complicações relacionadas ao novo coronavírus.

Ela tinha 13 anos.

A morte de Charlotte foi anunciada por um amigo da família na noite de terça-feira na página de sua mãe Paige Figi no Facebook.

“Charlotte não está mais sofrendo. Ela está livre de convulsões para sempre. Muito obrigado por todo o seu amor”, diz o post, que também pede ao público que respeite a privacidade da família de Figi.

Nas últimas semanas, Paige Figi postou no Facebook uma doença grave que atingiu todos os membros de sua família e enviou Charlotte ao hospital. Ela nunca disse explicitamente que era o COVID-19, a doença causada pelo coronavírus, e em uma resposta a um post mencionou que a família não tinha conseguido fazer o teste para a doença. A Fundação Realm of Caring, uma organização fundada por Paige Figi, confirmou no Facebook na quarta-feira que a morte de Charlotte se deu por complicações do COVID-19.

Se verificado por autoridades de saúde pública, isso tornaria Charlotte a vítima mais jovem da pandemia no Colorado até agora.

“Seu trabalho terminou Charlotte, o mundo mudou e agora você pode descansar sabendo que deixou o mundo um lugar melhor”, escreveu a Fundação Realm of Caring no Instagram.

Charlotte tinha a síndrome de Dravet, uma forma rara e debilitante de epilepsia que aparece pela primeira vez quando as crianças são jovens. Desde os três meses de idade, Charlotte sofreu centenas de pequenas e grandes convulsões por dia. Os tratamentos farmacêuticos se mostraram ineficazes e, aos 5 anos de idade, Charlotte lutava para andar e conversar e foi necessário um tubo de alimentação.

Depois de ouvir sobre uma família na Califórnia que tratava as crises de seus filhos com óleo de cannabis, Paige Figi começou a pesquisar a possibilidade e logo se conectou com um proprietário de dispensário de maconha medicinal de Colorado Springs chamado Joel Stanley, que, junto com seus irmãos, ajudara a desenvolver uma cepa de cannabis rica em canabidiol, ou CBD, um composto não psicoativo.

Paige Figi disse que as convulsões de Charlotte reduziram drasticamente quando ela começou a usar o óleo de CBD, tanto que Paige afastou Charlotte dos medicamentos farmacêuticos antiepiléticos. Charlotte logo conseguiu andar, brincar e se alimentar. Sua história foi destaque na literatura acadêmica. No mês passado, Paige postou no Facebook que fazia cinco anos desde que o tubo de alimentação de Charlotte foi removido.

Em sua homenagem, os irmãos Stanley deram o nome de Charlotte’s Web ao seu produto de CBD.

A história de Charlotte ganhou importância global, em 2013, quando ela apareceu em um documentário do Dr. Sanjay Gupta da CNN. O documentário mostrou Charlotte rindo e tocando, suas convulsões reprimidas pelo CBD.

Leia mais: Médico se desculpa por artigo contrário ao uso medicinal da maconha

Para famílias em todo o mundo cujos filhos sofriam de Dravet e condições semelhantes, os videoclipes eram uma revelação e uma esperança — e centenas de famílias se mudaram para o Colorado em busca de CBD para seus filhos sob as leis estaduais de maconha medicinal. A migração era tão grande que as famílias tinham um nome para si: refugiados da maconha.

Charlotte logo se tornou uma face proeminente do movimento da maconha medicinal em todo o país e no mundo, e Paige Figi e os irmãos Stanley tornaram-se francos defensores da legalização do CBD. As leis para fazer isso varreram os estados para a vitória, mesmo em estados conservadores.

Hoje, 47 estados têm leis que permitem produtos de CBD de alguma forma. O cânhamo é legalmente federal. A Charlotte’s Web é um dos produtos de CBD mais vendidos no mercado, registrando receita de US$ 95 milhões no ano passado. E a história de Charlotte também foi creditada por uma oposição menor à legalização mais ampla da maconha.

“Ela era uma luz que iluminava o mundo. Ela era uma garotinha que carregava todos nós em seus pequenos ombros”, escreveram os irmãos Stanley em um tributo publicado terça-feira à noite no site da Charlotte. “… O que começou como sua história se tornou a história compartilhada de centenas de milhares e a inspiração de muitos milhões a mais na jornada de seu aperfeiçoamento. Charlotte foi e será o batimento cardíaco de nossa paixão e a convicção de que a dignidade e a saúde de um ser humano são seus direitos”.

Condolências inundaram a página de Paige Figi no Facebook na noite de terça-feira — um testemunho do que Charlotte ganhou ao longo dos anos. Entre os que prestaram homenagem a Charlotte on-line, estava a Epilepsy Foundation, que, após hesitação precoce, abraçou o potencial terapêutico que o CBD poderia ter para algumas crianças com epilepsia.

“Nossas condolências mais profundas vão para a família Figi”, escreveu a fundação no Twitter. “Incentivamos todos a respeitar a privacidade da família neste momento muito difícil”.

#PraCegoVer: a imagem de capa traz uma foto, em preto e branco, de Charlotte Figi olhando para cima e um fundo de ambiente natural. Foto: reprodução / Facebook.

smokebuddies logo2 Charlotte Figi, a criança que inspirou o movimento pelo CBD, morre aos 13 anos

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!