Cannabis tem potencial para ajudar e prejudicar em casos de Covid-19: especialistas explicam

pistilos vermelho Cannabis tem potencial para ajudar e prejudicar em casos de Covid 19: especialistas explicam

Estudos indicam ambas as direções, com a cannabis tendo um impacto diferente a depender de como a medicação é usada e da gravidade da infecção. Entenda mais no artigo de Emily Earlenbaugh para a Forbes, com tradução pela Smoke Buddies

Desde que os surtos de coronavírus começaram a virar notícia, os consumidores de cannabis têm se perguntado se a cannabis vai prejudicar ou ajudar na Covid-19. Embora poucos tivessem respostas no início, mais pesquisas surgiram nos últimos meses. Ainda assim, estranhamente, a pesquisa aponta em ambas as direções — sugerindo que a cannabis pode ter potencial para ajudar e prejudicar em casos de infecção por coronavírus.

A maioria das novas evidências aponta para o CBD ou terpenos da cannabis como um tratamento para tempestades de citocinas — a perigosa elevação excessiva de citocinas e inflamação que levou à morte de muitos pacientes com Covid-19. Mas algumas pesquisas também sugerem que o uso geral de cannabis pode aumentar o risco para pacientes com Covid-19.

lazy placeholder Cannabis tem potencial para ajudar e prejudicar em casos de Covid 19: especialistas explicam

Os especialistas dizem que ambas as linhas de pesquisa podem estar apontando para a verdade — com a cannabis tendo um impacto diferente nos pacientes, dependendo de como é usada e da gravidade da infecção por Covid-19.

Leia mais: África do Sul testa cannabis e outras ervas da medicina tradicional contra a Covid-19

Cannabis pode ajudar em casos graves de Covid-19

O principal corpo de pesquisa que sugere que a cannabis pode ajudar as pessoas com Covid-19 aponta para a substância química derivada da cannabis, CBD, como um tratamento potencial durante casos graves de Covid-19.

Pesquisadores da Universidade de Nebraska e do Texas Biomedical Research Institute primeiro sinalizaram a possibilidade em um artigo revisado por pares na Brain, Behavior e Immunity. Eles apontaram que o CBD pode ser útil para combater as tempestades de citocinas da Covid-19.

As citocinas são proteínas no corpo que desempenham um papel importante em nossa resposta imunológica — aumentando a inflamação em reação a infecções. Isso é crucial no combate a infecções, mas às vezes em infecções graves o corpo vai longe demais e libera muitas citocinas no sangue muito rapidamente — esta é uma tempestade de citocinas e pode ser muito perigosa, causando febre alta, muita inflamação (vermelhidão e inchaço), fadiga intensa, náuseas, dificuldade em respirar e, em alguns casos, morte devido à falência de órgãos.

Os pesquisadores estão particularmente interessados ​​no CBD por que ele tem a capacidade de reduzir a inflamação que causa citocinas e, assim, potencialmente, acabar com as tempestades de citocinas.

Outros estudos encontraram resultados positivos, acrescentando-se às evidências de que o CBD pode ajudar. Um estudo acadêmico revisado por pares da Augusta University, na Geórgia, testou a teoria em camundongos e descobriu que o CBD foi capaz de aliviar enormemente as tempestades de citocinas e a síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) — até mesmo revertendo alguns dos danos causados ​​aos pulmões.

Outro estudo, realizado em células por empresas israelenses de pesquisa e desenvolvimento de cannabis, Eybna e CannaSoul Analytics, descobriu que o CBD, bem como uma mistura de terpenos anti-inflamatórios, foi capazes de reduzir significativamente os níveis das citocinas específicas implicadas em casos graves de Covid-19. Embora este estudo ainda precise ser revisado por pares, ele sugeriu que o CBD e a mistura de terpeno tiveram um desempenho melhor do que a dexametasona na redução de citocinas, uma droga que um estudo recente descobriu ser eficaz na redução da mortalidade para pacientes com Covid-19 em ventiladores.

Embora esses sejam estudos iniciais e a pesquisa em humanos precise ser feita para confirmar essa teoria, os pesquisadores em todos os três estudos argumentaram que os dados apoiam a ideia de que o CBD da cannabis pode ajudar a combater as tempestades de citocinas e SDRA, que é fatal para muitos pacientes com Covid- 19.

Terpenos e CBD funcionam três vezes melhor contra inflamação da Covid-19 do que corticosteroides, sugere estudo

Cannabis pode aumentar o risco de infecção por Covid-19

Infelizmente, algumas pesquisas também apontaram para outra direção. Um estudo divulgado recentemente  encontrou correlações entre o uso de cannabis e a contração de Covid-19. O estudo, feito por pesquisadores da University of Western Australia, comparou o uso de cannabis nos EUA com as taxas de infecção por Covid-19 e descobriu que os dois estavam correlacionados — com o uso de cannabis vinculado a um risco aumentado da doença. Os autores deste estudo argumentam que ele mostra que o uso de cannabis é um fator de risco para Covid-19, dizendo que a “cannabis, portanto, junta-se ao tabaco como um fator de risco para o SARS2-CoV-2”.

Ainda assim, outros especialistas criticaram este estudo, que ainda não foi revisado por pares, dizendo que ele realmente não nos diz muito sobre a cannabis e as conexões da covid.

Dr. Peter Grinspoon, MD, um médico de atenção primária que foi treinado e leciona na Escola de Medicina de Harvard, diz que este tipo de estudo não pode mostrar a causa e, portanto, pode estar pegando fatores que causam ambos, o aumento de Covid-19 e o de uso de cannabis. Assim, ele argumenta que o estudo realmente não nos diz muito sobre se a cannabis aumenta o risco de Covid-19. Mas isso não significa que não haja risco.

Grinspoon, um especialista em cannabis medicinal, diz que ainda existem algumas boas razões teóricas para pensar que a cannabis pode ser um fator de risco — particularmente em um caso inicial ou leve de Covid-19.

Grinspoon explica que a mesma função que faz os pesquisadores pensarem que o CBD pode combater as tempestades de citocinas em casos graves de Covid-19, pode piorar as coisas para quem está em uma fase inicial da doença. Acontece que essas fases podem exigir tratamentos totalmente diferentes. “Na primeira parte, você precisa montar uma resposta imune para combater o vírus”, explica Grinspoon, acrescentando que “se você tiver um caso grave… seu sistema está ficando maluco e você precisa de imunossupressores”.

A capacidade da cannabis de suprimir as respostas imunológicas pode ajudar durante uma tempestade de citocinas, quando nossa própria resposta imunológica vai longe demais. Mas, no início da infecção — quando nosso sistema imunológico precisa estar no seu melhor — suprimi-lo pode levar a uma infecção pior. Mesmo assim, Grinspoon não está convencido de que a imunossupressão da cannabis seja suficiente para causar um grande impacto na Covid-19. Embora ele diga que as evidências mostram que a fase com tempestades de citocinas e SDRA “parece ser muito influenciada pelas citocinas”, ainda não está claro se os estágios iniciais dependem de altos níveis dessas citocinas especificamente, ou apenas de uma resposta imune mais geral.

Grinspoon também acrescenta que pode haver um risco elevado para quem fuma cannabis. “Muitas pessoas fumam e fumar causa bronquite crônica leve”, explica Grinspoon, apontando que a Covid-19 mata pessoas principalmente ao prejudicar seus pulmões. “Embora isso não tenha sido realmente estudado”, acrescenta ele, “é lógico que, se seus pulmões estão irritados e inflamados, você está mais preparado para ter danos pulmonares do que se seus pulmões estiverem em perfeitas condições”.

Ele também aponta que os hábitos comportamentais associados ao fumo de cannabis, como reunir-se para fumar juntos e às vezes compartilhar baseados e cachimbos, podem ser vetores de infecção e não são recomendados. Ele sugere mudar para a vaporização da flor de cannabis, ou usar comestíveis ou tinturas até que a crise passe — e exorta os consumidores de cannabis a não compartilharem baseados ou dispositivos que tocam sua boca.

Infelizmente, não temos estudos em humanos sobre nada disso ainda. E talvez nunca obtenhamos o tipo de detalhes que gostaríamos de ter sobre a cannabis e a conexão com a Covid-19, já que a pesquisa de cannabis em humanos é notoriamente difícil de obter. Isso significa que os pacientes e consumidores de cannabis podem precisar ter cautela adicional — especialmente em relação a fumar cannabis ou usá-la se acreditarem ter sinais precoces de Covid-19. A pesquisa até agora, embora limitada, sugere que os benefícios não serão vistos com o uso de cannabis a menos que a doença já seja grave — e pode realmente fazer mal nos estágios iniciais.

Leia também:

O hábito de fumar pode não ser mais o mesmo depois da pandemia

#PraCegoVer: em destaque, fotografia em plano fechado que mostra o topo de uma inflorescência de maconha, repleto de pistilos creme e marrom, e um fundo vermelho. Imagem: THCameraphoto.

lazy placeholder Cannabis tem potencial para ajudar e prejudicar em casos de Covid 19: especialistas explicam

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!