Cannabis pode prevenir os principais efeitos colaterais da quimioterapia, diz estudo israelense

buds palma mao Cannabis pode prevenir os principais efeitos colaterais da quimioterapia, diz estudo israelense

Droga pata tratamento do câncer danifica os nervos em 70% dos pacientes, mas quando a maconha é consumida, desde antes da quimioterapia, esse número cai para 25%. As informações são do The Times of Israel

A cannabis pode conter alguns dos piores efeitos colaterais da quimioterapia, acreditam os médicos israelenses.

Eles monitoraram 500 pacientes de quimioterapia e descobriram que os danos nos nervos, um efeito colateral comum, se manifestam muito menos entre aqueles que usam cannabis.

site sb Cannabis pode prevenir os principais efeitos colaterais da quimioterapia, diz estudo israelense

estudo revisado por pares envolveu pacientes tratados com oxaliplatina, uma droga comum contra o câncer, que é usada para tratar o câncer avançado do cólon e reto. Mas os pesquisadores acreditam que sua descoberta será relevante para várias outras quimioterapias que causam danos aos nervos.

Leia mais: Cannabis é eficaz contra náusea e vômito decorrentes da quimioterapia, diz estudo

Cerca de 70% dos pacientes tratados com oxaliplatina têm efeitos colaterais neurológicos, que variam de formigamento nas mãos e pés à perda de sensibilidade e incapacidade de sentir os dedos. “Isso pode ser muito desafiador para os pacientes e levar meses para diminuir”, disse a Dra. Ravit Geva, do Centro Médico Tel Aviv Sourasky.

Entre os pacientes que consomem cannabis, apenas 40% tiveram efeitos colaterais.

Os usuários de cannabis começaram a tomar a droga em diferentes pontos, mas aqueles entre eles que a tomavam antes da quimioterapia tiveram uma incidência particularmente baixa de efeitos colaterais neurológicos: apenas 25%.

“Esta é uma redução muito significativa e indica que a cannabis pode resolver um grande problema enfrentado por pacientes com câncer que recebem quimioterapia”, disse Geva, que conduziu o estudo junto com o médico residente Barliz Waissengrin, ao The Times of Israel.

Leia: Como a cannabis pode ajudar no tratamento do câncer?

O uso de cannabis é comum e legal entre pacientes com câncer em muitas partes do mundo, incluindo Israel. É normalmente prescrito para o controle da dor, mas Geva disse que seu estudo indica que pode ser valioso para combater alguns efeitos colaterais de drogas contra o câncer poderosas, especialmente danos nos nervos, para os quais nenhum outro tratamento foi identificado.

Ela disse que mais pesquisas são necessárias, incluindo estudos de outras drogas quimioterápicas usadas para tratar câncer gastrointestinal. Se der certo, disse ela, a cannabis pode mostrar não apenas melhorar a qualidade de vida dos pacientes com câncer, mas também permitir um tratamento mais eficaz.

“A administração de cannabis antes do início do tratamento com oxaliplatina pode permitir doses mais altas de tratamento sem o desenvolvimento de danos nos nervos”, disse ela, sugerindo que efeitos colaterais mais leves podem abrir possibilidades para doses mais altas e, portanto, um tratamento mais forte.

Leia também:

Cannabis melhora a qualidade de vida de pacientes oncológicos

#PraCegoVer: fotografia em close que mostra uma porção de buds de maconha secos, em tons de verde e marrom, sobre a palma de uma mão. Imagem: Lucas Fonseca | Pexels.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!