Cânhamo: os lares que a planta da Cannabis construiu

maconha desmatamento amazonia smoke buddies Cânhamo: os lares que a planta da Cannabis construiu

A fibra da maconha é utilizada desde a época de Júlio César, quando os romanos usavam a matéria-prima para a fabricação de objetos que iam de tecidos a cordas de navios. Hoje, cerca de 30 países produzem o cânhamo que pode ser considerado como o material de construção mais sustentável existente. As informações são do Estadão.

Os romanos usam-na desde os dias de Júlio César, mas para fins diferentes dos que conhecemos.

O material de construção mais sustentável não é o concreto nem o aço — é o cânhamo, que cresce rapidamente nas plantas de Cannabis.

Uma ponte de argamassa de cânhamo foi construída no século 6, quando a França ainda era Gália. Agora, um movimento de construtores e botânicos está trabalhando para reformar esse mercado.

A mistura das lenhosas fibras do cânhamo com cal produz um concreto natural e leve, que retém massa térmica e é altamente isolante. Sem pragas nem mofo, com boa acústica, baixa umidade e nenhum pesticida. As plantas crescem da semente à colheita em cerca de quatro meses.

O cânhamo não é muito cultivado nos Estados Unidos: até agora, a área cultivada cobre um pouco menos de 10 mil acres, o suficiente para a construção de 5 mil casas de família. A área cultivada no Canadá tem o dobro de tamanho, e na província chinesa de Yunnan, 10 mil agricultores cultivam a planta. Cerca de 30 países produzem cânhamo atualmente, incluindo Espanha, Áustria, Rússia e Austrália.

O cânhamo foi redescoberto nos anos 1980 em toda a Europa, onde seu cultivo é legalizado; a França se tornou o maior produtor de cânhamo da União Europeia. Centenas de edifícios por todo o continente europeu utilizam o material como isolante, para preencher paredes e telhados e sob os pisos, nas construções com estruturas de madeira.

Leia também: Cânhamo, o futuro da construção

Uma cepa da onipresente Cannabis sativa, a esguia planta de cânhamo, floresce em uma ampla variedade de climas, crescendo até os cinco metros, em troncos de três centímetros de diâmetro. A camada mais interna da planta, a medula, é envolvida por um miolo lenhoso. Esta é a fonte da resistente fibra, que pode ser utilizada para fabricar corda, vela de barco e papel.

A utilização do concreto de cânhamo está se popularizando. Em 2015, a Associação das Indústrias do Cânhamo avaliou o mercado dos Estados Unidos em US$ 573 milhões.

Há cerca de 50 casas de cânhamo nos Estados Unidos. A primeira casa de cânhamo de Israel foi construída na encosta do Monte Carmel. Há empreendimentos de cânhamo no Nepal e na Ucrânia.

lazy placeholder Cânhamo: os lares que a planta da Cannabis construiu

Casa sendo construída com concreto de cânhamo (hempcrete). Foto: Alembic Studio – The New York Times.

Os produtores de concreto de cânhamo afirmam que o material é ideal para construções de baixo custo, além de ter aparência de estuco e não conter toxinas. Seus incentivadores também ressaltam sua baixa emissão de carbono, pois sua produção requer o uso três vezes menor de calor, em comparação ao concreto de cal padrão.

No Hemisfério Norte, o cânhamo é plantado normalmente entre março e maio; abaixo do Equador, entre setembro e novembro. O cânhamo industrial contém mero 0,3% de THC (tetraidrocanabinol), substância responsável pelos efeitos produzidos ao fumar maconha. A Cannabis que é fumada contém até 20%.

Ainda assim, combater a conotação de droga que a planta carrega pode ser o maior obstáculo para cultivadores e construtores.

Leia também: Cânhamo pode revolucionar economia do país, “mas o que pega é o preconceito”, diz fundador da Sediña

Apesar de o cultivo de cânhamo ser legalizado no Canadá desde 1998, os agricultores têm de obter licenças. Na Austrália, a agricultura industrial de cânhamo é legalizada há mais de 20 anos.

Nos Estados Unidos, uma cláusula na regulamentação da agricultura retirou o cultivo de cânhamo com “propósito de pesquisa” da Lei de Substâncias Controladas. Em janeiro, a Califórnia legalizou o uso da planta totalmente. Nova York está financiando uma iniciativa de pesquisa com US$ 10 milhões em estímulos aos empreendimentos de cânhamo.

Em muitos climas, paredes de quatro metros de altura feitas de concreto de cânhamo são capazes de criar ambientes internos com temperaturas em torno dos 15ºC por todo o ano, sem a necessidade de sistemas de aquecimento ou refrigeração, afirmou Joy Beckerman, especialista em legislação de cânhamo e vice-presidente da Associação das Indústrias do Cânhamo. “A pegada ecológica total é dramaticamente menor do que na construção tradicional”.

Neozelandeses transformaram 500 fardos de cânhamo holandês em uma casa de aproximadamente US$ 650 mil. No Reino Unido, a construtora HAB Housing levantou cinco casas de concreto de cânhamo no ano passado. A empresa canadense JustBioFiber finalizou recentemente uma casa na Ilha Vancouver construída com uma estrutura interna feita de tijolos de cânhamo encaixados em estilo Lego.

Mas como é o cheiro de uma casa de cânhamo?

“Cheira a conforto”, afirmou Sergiy Kovalenkov, de 33 anos, engenheiro civil ucraniano que comandou projetos com cânhamo na Ucrânia, na França, na Suécia e na Jamaica — e está iniciando mais um na Califórnia.

“Cheira um pouco a cal. Estamos utilizando o caldo. Não há cheiro de Cannabis — não tem nada a ver com o cheiro da erva fumada nem das plantas de Cannabis. É uma produção agrícola industrial”.

Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário