CanCoin e a ambição de seus apoiadores de se tornar o banco central de cannabis da Europa

top bud crystalweed CanCoin e a ambição de seus apoiadores de se tornar o banco central de cannabis da Europa

O bem-sucedido empresário sueco de crowdfunding Daniel Daboczy voltou sua atenção para a cannabis com o lançamento da moeda digital The CanCoin, almejando evoluir para o banco central de cannabis da Europa. Saiba mais com as informações da BusinessCann

Daniel Daboczy fez seu nome com a plataforma FundedByMe lançada em 2012. Ela apoiou mais de 650 empresas, levantou mais de € 80 milhões e estreou no mercado de ações Nordic Growth Market, avaliada em € 35 milhões, em 2019.

Ele acredita que a The CanCoin e sua tecnologia blockchain associada ajudarão a lidar com muitos dos pontos críticos da indústria com o objetivo final de evoluir para o banco central de cannabis da Europa.

site sb CanCoin e a ambição de seus apoiadores de se tornar o banco central de cannabis da Europa

Sua arrecadação de fundos inicial de € 250.000 foi apoiada por investidores-anjo e especialistas da indústria e o projeto está em colaboração com os experientes investidores suecos de cannabis David Bonnier e Amaury de Poret, cofundadores e gerentes de investimento da Enexis.

Ambição de lançamento de 10 milhões de euros

Em 22 de agosto, a primeira CanCoin vai estrear em uma seleção de bolsas de criptomoeda, com a empresa de Daboczy — Technicorum Holdings — visando arrecadar até € 10 milhões com o lançamento.

Bem como aqueles que comprarem a CanCoin como um investimento especulativo, a Technicorum acredita que será adotada pela comunidade canábica como uma alternativa às moedas estabelecidas e uma ferramenta de utilidade essencial para a indústria.

Ela acredita que a tecnologia blockchain na qual a CanCoin é baseada fornecerá a transparência e os dados necessários para satisfazer os políticos e reguladores que ainda estão preocupados com a onda verde que está se formando.

Leia mais: Série Cannabis Empregos: as oportunidades no mercado brasileiro

Identificamos seis diferentes pontos de dor na indústria da cannabis e nossa tecnologia blockchain personalizada pode ajudar a resolvê-los. A rapidez com que poderemos fazer isso realmente depende de quanto arrecadarmos”, disse Daboczy.

“Isso é como uma startup, no seguinte sentido: temos um problema fundamental que precisa ser consertado, sabemos que podemos consertá-lo, tudo o que precisamos agora é contratar as pessoas certas com as habilidades certas”.

As seis áreas que abordarão são as seguintes:

– Registro da semente à prateleira

– Armazenamento de DNA para personalização de medicamentos fitoterápicos

– Manutenção de registros de uso médico (suportado por um aplicativo)

– Transparência e padrões

– Pagamentos para a indústria, pacientes e consumidores

– Crowdfunding tokenizado

Todos os itens acima serão baseados no uso da tecnologia blockchain, enquanto os dois últimos utilizarão os recursos transacionais da CanCoin.

A Technicorum lançará duas variantes da CanCoin, uma sendo amarrada a uma moeda estabelecida, como o dólar, e a segunda podendo flutuar livremente.

Ele acredita que a CanCoin se tornará popular na comunidade de cannabis, que já luta para garantir parceiros de transação confiáveis — a maioria dos bancos se recusa a lidar com transações de cannabis. Depois, há as questões em torno da intransigência regulatória e do comércio internacional.

Parceiro de transação confiável

Da mesma forma que outras indústrias — transporte marítimo e imobiliária, por exemplo — apoiarão a moeda de sua própria indústria, acreditamos que também será o caso com a cannabis.

A CanCoin também oferece aos participantes da indústria, em todos os setores, a oportunidade de ver o valor das participações da CanCoin aumentar enquanto se beneficia de suas capacidades transacionais”, acrescentou.

Leia também: Mercado global de cannabis atingirá US$ 47 bilhões até 2025, preveem analistas

Players-chave de blockchain, finanças e cannabis estão chegando como consultores para o projeto. Esses incluem o Transform Group de Nova York, Massfluencer de Estocolmo/Cingapura e Cryptologicals de Cingapura.

Os parceiros definidos para integrar a CanCoin incluem a plataforma de CBD e bem-estar do Reino Unido Alphagreen, juntamente com a empresa de cânhamo e CBD suíça Heidi’s Garden e o Reyos Group, focado na ciência.

Daboczy acrescentou que: “Trata-se de solucionar os problemas enfrentados pelo paciente, pelos produtores, pelos fabricantes e pelo resto da indústria como um todo. Nós podemos fazer isso. Construí muitas empresas de tecnologia e isso não é tão complexo. Nosso objetivo agora é trabalhar com pessoas e políticos que trabalham com cannabis e construir uma ponte entre o passado e o futuro”.

A CanCoin terá um suprimento finito de 420 milhões de moedas tokenizadas, emitidas no próximo mês, com um preço flutuante inicial projetado de US$ 0,17 e descontos disponíveis para compras maiores. Technicorum Holdings é uma empresa especializada em DeFi (finanças descentralizadas) com sede em Cingapura, estabelecida no ano passado.

Leia mais:

Da Nestlé à AB Inbev: empresas de consumo disputam mercado de CBD

#PraTodosVerem: fotografia, em close, de um top bud sob iluminação roxa, onde mais plantas de maconha aparecem ao fundo em pior foco. Imagem: Unsplash | Crystalweed.

smokebuddies logo2 CanCoin e a ambição de seus apoiadores de se tornar o banco central de cannabis da Europa

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!