Pesquisa aponta percepção dos brasileiros sobre a maconha como alternativa terapêutica

frasco conta gotas Pesquisa aponta percepção dos brasileiros sobre a maconha como alternativa terapêutica

Levantamento realizado com mais de 800 brasileiros descobriu que quase 30% já fizeram uso adulto de maconha alguma vez e mais de 35% são ou conhecem algum usuário terapêutico

Um estudo da Toluna Insights e Clever Leaves para determinar como as pessoas percebem a maconha como uma alternativa médica levantou, em um universo de mais de 800 cidadãos do Brasil, que quase 30% já usaram cannabis socialmente alguma vez e que mais de 35% a usaram para fins medicinais, ou conheciam alguém que o fazia.

Os resultados demonstram a importância de investir em pesquisas científicas para educar os consumidores sobre os equívocos em torno do uso de cannabis e seu potencial no tratamento de certas condições. É por isso que a Clever Leaves lançou o Project Change Lives, uma iniciativa de pesquisa nos EUA, por meio da qual a empresa se comprometeu a contribuir com o valor de varejo de até US$ 25 milhões (que correspondem a 5 toneladas de inflorescências de cannabis medicinal) para qualquer organização dos EUA elegível para ajudar no avanço da pesquisa científica sobre os benefícios médicos potenciais dos canabinoides e o possível desenvolvimento de novas terapias.

site sb Pesquisa aponta percepção dos brasileiros sobre a maconha como alternativa terapêutica

Leia também: Justiça federal autoriza associação recifense a cultivar cannabis para fins medicinais

O CEO da Clever Leaves, Kyle Detwiler, explicou que o projeto tem como objetivo expandir a inovação em torno da cannabis. “À medida que avançamos com este projeto, pretendemos desenvolver a narrativa da cannabis com o objetivo ideal de fornecer à maioria dos pacientes necessitados produtos canabinoides de grau farmacêutico. Queremos tratar problemas médicos e deixar o mundo um lugar melhor”, explica.

O Brasil tem um grande potencial de pesquisa como mostra o estudo “Global Trends in Cannabis and Cannabidiol Research from the Year 1940 to 2019”, que traz uma análise bibliométrica dos 1.167 artigos científicos publicados entre 1940 e 2019, considerados de relevância científica pelas principais bases de dados, e coloca a USP (Universidade de São Paulo) em primeiro lugar como a instituição que mais publica artigos sobre canabidiol (CBD) no mundo.

“O Brasil, para nós, é o mercado perfeito porque a cannabis entrará no setor farmacêutico se for legalizada. Esse tipo de coisa que te deixa animado para entrar no mercado”. Se considerarmos a população do Brasil de mais de 200 milhões de pessoas, vamos assumir que 2,6 milhões de pessoas por ano poderiam estar usando os produtos de cannabis para fins medicinais”, complementa Kyle.

 

 

 

Leia mais:

Estudos sobre ayahuasca projetam USP como referência em pesquisas sobre alucinógenos

#PraTodosVerem: fotografia, em plano fechado, de um frasco âmbar e um conta-gotas de tetina preta apoiado sobre o mesmo com a cânula pra cima, sobre uma mesa de madeira clara. Foto de Karolina Grabowska no Pexels.

smokebuddies logo2 Pesquisa aponta percepção dos brasileiros sobre a maconha como alternativa terapêutica

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!