Bebidas com sabor de cannabis chegam às lojas de conveniência na Tailândia

cha green lab tailandia Bebidas com sabor de cannabis chegam às lojas de conveniência na Tailândia

Gigante das bebidas tailandesa mantém o ânimo com produtos terpenados, enquanto a terceira onda de Covid-19 cancela eventos sobre maconha. As informações são da Nikkei Asia

Os produtos relacionados à cannabis se tornaram mais acessíveis do que nunca para as pessoas na Tailândia, já que bebidas engarrafadas com aroma da planta estão sendo vendidas em lojas de conveniência e em máquinas de venda automática em todo o país.

O Ichitan Group, maior fabricante de chás prontos para beber da Tailândia, lançou duas bebidas com infusão de terpenos, compostos encontrados em várias plantas, mas mais conhecidos como a principal fonte do aroma distinto da cannabis.

site sb Bebidas com sabor de cannabis chegam às lojas de conveniência na Tailândia

Um logotipo semelhante à folha de cannabis aparece nas garrafas de dois produtos de chá Ichitan: um chá verde com aroma de camomila e terpeno sem açúcar e outro adoçado com aroma de limão e terpeno. Os produtos não contêm substâncias psicoativas como o canabidiol.

As bebidas engarrafadas foram recentemente colocadas à venda nas lojas de conveniência 7-Eleven em todo o país. Elas também são vendidas em shoppings, estações de trem, complexos de condomínios e outros locais em mais de 13.000 máquinas de venda automática fornecidas pela empresa Sun Vending Technology.

Leia também: Governo oferece treinamento para a produção de cânhamo na Tailândia

Ambos os sabores foram recentemente avaliados a 30 bahts (R$ 5) em uma loja 7-Eleven no centro de Bangkok. A Ichitan estabeleceu uma meta de vendas de 500 milhões de bahts (R$ 84 milhões) para os produtos em seu primeiro ano.

A Ichitan foi uma das primeiras grandes empresas tailandesas de alimentos e bebidas a identificar o potencial dos produtos de cannabis. Existem vários restaurantes, cafés e bares com licença independente que servem pratos e bebidas de cânhamo. Ninguém tentou atingir o mercado de massa da maneira que Ichitan fez.

“Ser a pioneira no novo mercado será um fator importante para obter uma vantagem com o lançamento do produto, enquanto estuda o comportamento dos clientes-alvo — a nova geração urbana”, disse o CEO e presidente da Ichitan, Tan Passakornnatee.

Depois de permitir a maconha medicinal em 2019, a Tailândia relaxou em janeiro ainda mais os regulamentos. Qualquer indivíduo ou empresa pode obter permissão para adquirir, cultivar, produzir e vender produtos de cânhamo. Partes da planta do cânhamo podem ser processadas para fazer remédios, alimentos ou cosméticos. No entanto, o cânhamo usado em bebidas não foi aprovado pela lei, segundo Ichitan.

Leia mais – Tailândia: famílias podem cultivar seis plantas de maconha para complementar renda

A Tailândia trata o cânhamo e a cannabis de maneiras diferentes. Embora sejam da mesma espécie, o cânhamo é quase isento de tetraidrocanabinol (THC). Também é conhecido por suas fibras fortes, que podem ser usadas na fabricação de cordas, papel, roupas e outros produtos.

Temos uma forte aliança com as fontes de produção e esperamos receber uma licença para o plantio e extração [do cânhamo], cobrindo o upstream e o midstream”, disse Tan. “Uma vez recebido o sinal verde da lei, a produção pode ser iniciada instantaneamente”, acrescentou.

Cultivar cannabis só será permitido sob supervisão do governo. O uso de partes altamente narcóticas da planta de cannabis, especialmente os buds, será estritamente limitado ao uso médico, pesquisa e cultivo.

A legalização da cannabis se tornou uma tendência global, embora irregular. Em março, Nova York se tornou o 17º estado dos EUA a legalizar a maconha para uso adulto. O México está aguardando a aprovação do Senado de um projeto de lei que legalizaria a maconha adulta. A Câmara dos Deputados, a câmara baixa, aprovou a legislação em março e o presidente Andrés Manuel López Obrador sinalizou disposição para assinar o projeto. Mais de 50 países legalizaram a maconha medicinal.

O governo tailandês promove o cânhamo e a cannabis como culturas comerciais de várias maneiras. Ele acredita que os produtos de cânhamo podem atrair viajantes curiosos, bem como turistas médicos. O cultivo de cânhamo e cannabis pode gerar renda para os agricultores.

Leia: Restaurante de hospital tailandês serve pratos com maconha como forma de quebrar tabu

Os investidores também veem o mercado legal de cannabis como uma mina de ouro. O fundo tailandês MFC Asset Management anunciou um plano para estabelecer o primeiro fundo mútuo da Tailândia com foco em investimentos em negócios relacionados ao cânhamo. O gestor de ativos espera que o mercado global de cannabis legal cresça 17,1% ao ano até 2025.

No entanto, o interesse comercial pela cannabis na Tailândia, que foi desencadeado pela desanexação em janeiro, foi atenuado pela terceira onda da pandemia de Covid-19 e subsequentes fechamentos de negócios. A primeira grande convenção de cannabis em Bangkok marcada para 19-20 de abril foi adiada para 19-20 de julho. Um seminário de negócios sobre extratos de cannabis agendado para quinta-feira também foi cancelado.

Leia também:

Vai um hempbúrguer? Empresas tailandesas de bens de consumo entram no mercado de cannabis

#PraCegoVer: fotografia que mostra uma pessoa segurando duas garrafas da bebida da Ichitan, uma com rótulo em fundo cinza e outra amarelo, onde se vê a marca “Green Lab” sobre uma tarja verde e o logo de folha de cannabis que traz o nome da empresa no lugar de um dos folíolos. Imagem: Youtube / Lower100THB.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!