Amsterdã se prepara para proibir a entrada de turistas estrangeiros em coffeeshops

coffeeshop the bulldog Amsterdã se prepara para proibir a entrada de turistas estrangeiros em coffeeshops

Na cidade, que tem 30% dos coffeeshops do país, 1,5 milhão de turistas visitavam esses cafés todos os meses antes da epidemia de coronavírus. As informações são da BBC

A capital neerlandesa, Amsterdã, quer se livrar de sua imagem de “cidade internacional do sexo e das drogas”. Por esse motivo, a administração da cidade está se preparando para proibir os turistas estrangeiros de entrarem nos cafés que vendem cannabis (coffeeshops) em Amsterdã.

Nos Países Baixos, os turistas estrangeiros eram anteriormente proibidos de entrar nos cafés que vendem cannabis nas cidades fronteiriças. Em Amsterdã, que tem 30% dos coffeeshops do país, 1,5 milhão de turistas visitavam esses cafés todos os meses antes da epidemia de coronavírus.

site sb Amsterdã se prepara para proibir a entrada de turistas estrangeiros em coffeeshops

A prefeita de Amsterdã, Femke Halsema, o promotor e os policiais concordaram com um plano para proibir turistas estrangeiros de entrarem em cafés que vendam maconha no próximo período.

Leia mais: Amsterdã quer proibir turistas estrangeiros de comprar maconha na cidade

De acordo com o plano enviado por Halsema à prefeitura, somente residentes nos Países Baixos poderão entrar nos coffeeshops.

O número de cafés de cannabis em Amsterdã foi reduzido de 283 para 166 desde 2000. Apesar disso, tem havido um aumento constante nas vendas de cannabis. As vendas de alguns cafés aumentaram 200%.

De acordo com a prefeita Halsema, os turistas estrangeiros que chegam à cidade com passagens aéreas baratas têm uma grande contribuição.

Cafés que vendem maconha foram proibidos em outras cidades

Em outras cidades dos Países Baixos, os turistas estrangeiros foram banidos dos coffeeshops, enquanto a cidade de Amsterdã não concordou com a decisão, temendo que o comércio ilegal nas ruas aumentasse.

O município de Amsterdã, o promotor e a polícia querem se livrar dos turistas estrangeiros que alimentam o narcotráfico e dos problemas que eles causam, através do novo plano. Outro objetivo do plano é tornar o mercado de cannabis mais transparente.

Leia também: Pode ter coffeeshop no Brasil?

Municípios e unidades de segurança acham que a medida evitará que o tráfico de drogas leves, que cresceu rapidamente nos últimos anos, se envolva no ambiente das drogas pesadas.

No âmbito do plano, o número de coffeeshops da cidade está previsto para ser limitado a 73, no máximo.

De acordo com a pesquisa, cerca de 60% dos turistas que visitam as ruas de bordéis em Amsterdã veem os cafés que vendem maconha como um motivo importante para ir à cidade.

A proibição está prevista para entrar em vigor após um período de transição e novas medidas contra a venda de drogas ilegais nas ruas.

Nos Países Baixos, todos os cafés, bares e restaurantes estarão fechados até 19 de janeiro como parte da luta contra a epidemia de coronavírus. No entanto, fontes do governo afirmam que esse período será estendido até o final do mês.

Leia mais:

A maconha sempre foi tolerada na Holanda?

#PraCegoVer: a imagem de capa traz a foto da fachada de um coffeeshop da The Bulldog, em Amsterdã, com uma pintura tipo easter eggs multicolorida.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!