Alunos de medicina, biomedicina e farmácia da UFPB terão disciplina sobre cannabis

foto andre resende g1 1 Alunos de medicina, biomedicina e farmácia da UFPB terão disciplina sobre cannabis

“É nosso dever, como professores e pesquisadores, mostrar aos futuros prescritores e demais profissionais da área da saúde que existe uma possibilidade terapêutica bastante viável a partir dessa planta no tratamento de diversas doenças”, avaliou a professora que propôs a disciplina. Informações são do G1

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da UFPB aprovou de maneira unânime a criação da disciplina que trata do uso medicinal da maconha para os alunos dos cursos de medicina, biomedicina e farmácia. De acordo com a professora doutora Katy Lísias Gondim Dias de Albuquerque, criadora da disciplina, a UFPB é a primeira universidade federal do Brasil a tratar o tema nos três cursos. A reunião foi realizada na quinta-feira (15).

A criação da disciplina foi proposta pela professora, que faz parte do Departamento de Fisiologia e Patologia. O componente curricular estará vinculada ao projeto pedagógico do curso de biomedicina e vai ser ofertado pela primeira vez nos cursos de biomedicina, medicina e farmácia no período 2019.2 e posteriormente aos demais de graduação da UFPB.

Segundo a professora, a nova disciplina vai se chamar Sistema Endocanabinoide e Perspectivas Terapêuticas da Cannabis Sativa e Seus Derivados. “O objetivo principal é introduzir conhecimentos sobre o Sistema Endocanabinoide e sua relação com diversas doenças, além de ampliar os estudos farmacológicos sobre os canabinoides (endógenos e exógenos), com ênfase nas manifestações clínicas, tratamento e possíveis interações medicamentosas”, comentou.

No entanto, ter uma disciplina específica para estudar os efeitos terapêuticos da maconha não é uma novidade no geral. O curso de medicina veterinária da Universidade Federal de Santa Catarina tem uma disciplina de endocanabinologia ministrada pelo professor Erik Amazonas, de acordo com Katy Albuquerque.

Para a professora, o desejo é de que essa iniciativa sirva de inspiração para outras universidades e que em um futuro muito próximo esse tema faça parte do currículo dos cursos da área de saúde de muitas instituições de forma semelhante ao que está sendo feito na UFPB.

“É muito importante que essa formação sobre as perspectivas terapêuticas da cannabis sativa aconteça dentro da graduação para que os profissionais de saúde saiam das universidades com menos preconceito e embasados na ciência para aumentar seu arsenal de terapêutico”, comenta Katy Albuquerque.

A professora da UFPB explica que atualmente muitas doenças graves não estão respondendo de forma satisfatória à terapia convencional e que muitas pesquisas científicas estão encontrando uma melhora bastante significativa com produtos à base de cannabis.

“É nosso dever, como professores e pesquisadores, mostrar aos futuros prescritores e demais profissionais da área da saúde que existe uma possibilidade terapêutica bastante viável a partir dessa planta no tratamento de diversas doenças”, avaliou a professora.

Leia também:

UnB busca voluntários para pesquisa com CBD para tratamento ao vício em crack

#PraCegoVer: Foto (de capa) mostra top bud de uma planta de cannabis, com algumas folhas serrilhadas junto aos buds em primeiro plano, e fundo verde desfocado. Foto: André Resende | G1.

lazy placeholder Alunos de medicina, biomedicina e farmácia da UFPB terão disciplina sobre cannabis

Sobre Smoke Buddies

O Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. https://www.smokebuddies.com.br
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!

Deixe seu comentário