Alimentar jumentos com maconha pode causar intoxicação, segundo estudo

jumento Alimentar jumentos com maconha pode causar intoxicação, segundo estudo

Não é aconselhável alimentar jumentos com buds de cannabis, de acordo com um novo estudo que analisou casos de intoxicação em dois animais

A intoxicação por maconha é tipicamente vista por veterinários de cães e gatos. No entanto, com o aumento da disponibilidade de cannabis, há um maior potencial de intoxicação em outras espécies. Em um estudo publicado no Journal of Veterinary Diagnostic Investigation, os pesquisadores descreveram um caso de suspeita de intoxicação por maconha em um casal de jumentos alimentados com buds de cannabis.

O estudo investigou o que aconteceu depois que os jumentos, da raça “american mammoth”, foram alimentados com alguns gramas de maconha que estava sendo cultivada legalmente para consumo humano.

Os animais foram levados aos veterinários por apresentarem sinais de letargia e depressão. No entanto, a fêmea apresentou ataxia, cólica leve, taquicardia, taquipneia e diminuição do tônus ​​da língua. Amostras de plasma na apresentação e três dias após a hospitalização foram submetidas ao Laboratório de Diagnóstico Veterinário do Estado de Kansas para triagem de canabinóides e THC foi detectado em todas as amostras.

Leia também: Sementes de cânhamo têm potencial como fonte de alimentação para animais

Ambos, fêmea e macho, “se recuperaram sem intercorrências dentro de 24 horas após os efeitos de pico”, segundo o estudo. Para o conhecimento dos cientistas, este é o primeiro estudo documentando casos de consumo de cannabis em jumentos.

O caso dos jumentos proporcionou aos pesquisadores a chance de experimentar procedimentos de teste para confirmar que os sintomas eram devidos à exposição a canabinoides. “A utilização de um ensaio de triagem de canabinoides em colaboração com um laboratório de diagnóstico veterinário pode ser útil quando um praticante de equitação suspeitar de intoxicação por maconha em um paciente”, disseram os autores.

Embora tenham sido capazes de determinar a presença de canabinoides no plasma dos jumentos, os pesquisadores observaram que são necessários mais dados para descobrir qual dose de cannabis causa intoxicação na espécie.

Em termos de tratamento de jumentos que comeram muita maconha, o estudo diz que os praticantes poderiam usar lavagem gástrica, administrar carvão ativado ou usar laxantes.

Leia mais: Mercado de cannabis para pets: o Brasil está pronto!

“Essas terapias adjuvantes visam diminuir a absorção gástrica e facilitar a excreção para limitar os efeitos clínicos adversos da cannabis”, escreveram eles. “Não há evidências científicas para apoiar o benefício dessas terapias para a intoxicação por maconha em pacientes asininos. No entanto, carvão ativado e lavagem gástrica são meios eficazes de tratamento de suporte para intoxicação por maconha em pacientes caninos”.

Para além dos casos de intoxicação, há interesse na comunidade científica sobre os efeitos medicinais da cannabis em animais.

Um ensaio clínico realizado por pesquisadores da Universidade Estadual do Colorado, publicado no Journal of the American Veterinary Medical Association em junho de 2019, descobriu que o óleo de CBD reduziu a frequência de convulsões em 89% dos cães epiléticos que o receberam.

Em 2020, um outro estudo determinou que o canabidiol pode aliviar os sintomas da artrite em cães.

Veja também:

Entenda como é feito um tratamento veterinário com cannabis

#PraTodosVerem: foto mostra a cara de um jumento que, olhando para a câmera, se encontra em um campo, bem como outro animal e árvores ao fundo, em pior foco. Imagem: Unsplash / Tim Mossholder.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!