Um acordo de maconha de grande sucesso fracassa e mais pode desmoronar nos EUA

flores expositorio medmen Um acordo de maconha de grande sucesso fracassa e mais pode desmoronar nos EUA
Newsletter Open Green

Empresas públicas de maconha estão enfrentando uma crise de capital, já que os investidores reconhecem que algumas empresas foram supervalorizadas e que mudanças regulatórias podem ocorrer mais tarde do que se esperava. As informações são da CNN Business

As empresas públicas de maconha estão se dando bem.

Os preços das ações estão despencando, as altas avaliações estão diminuindo, os cenários regulatórios permanecem em fluxo e agora os negócios estão saindo da mesa.

lazy placeholder Um acordo de maconha de grande sucesso fracassa e mais pode desmoronar nos EUA

A aposta da MedMen Enterprises (MMNFF) de se tornar a maior empresa de cannabis dos EUA comeu poeira nesta semana, quando sua aquisição planejada da PharmaCann – uma vez avaliada em US$ 682 milhões – foi mutuamente descartada.

O colapso da transação de grande sucesso é um sinal de que provavelmente haverá mais agitação no caminho para os maiores players públicos da cannabis.

Não há dúvida de que chegou o dia do acerto de contas para as operadoras de vários estados“, disse Matt Hawkins, sócio-gerente da Entourage Effect Capital, uma empresa de private equity focada em cannabis, anteriormente conhecida como Cresco Capital Partners. “Os dias de ser avaliado em projeções três anos depois há muito se foram”.

As empresas públicas de maconha estão enfrentando uma crise de capital, já que os investidores reconhecem que algumas empresas foram supervalorizadas e que mudanças regulatórias podem ocorrer mais tarde do que se esperava anteriormente.

“Você verá muitas empresas públicas sem dinheiro que precisam de uma rodada de financiamento que provavelmente não conseguirão fazer isso neste clima atual”, disse Hawkins.

A indústria da cannabis está chegando ao momento em que o “creme vai subir ao topo” e as empresas com forte capital financeiro poderão comprar ativos com desconto, disse ele.

Leia: Ex-banqueiro fica bilionário com boom da maconha nos EUA

“Como qualquer setor emergente, levará tempo para se desenvolver”, disse Scott Fortune, analista da Roth Capital Partners que cobre a MedMen. “Os vencedores hoje percebidos podem não ser os vencedores no futuro“.

A pressão está nos CEOs de empresas de cannabis públicas. Analistas e investidores estão analisando a saúde dos balanços, o dinheiro disponível e os caminhos para a lucratividade, disse Andrew Berman, CEO da Harborside, uma operadora de dispensários de cannabis sediada em Oakland e listada em uma bolsa canadense neste verão.

Para garantir que as finanças fiquem em ordem, às vezes é necessária uma decisão de cortar a isca nos movimentos de expansão planejados que antes eram atraentes, disse ele. Nos últimos meses, a Harbourside interrompeu duas aquisições planejadas: Airfield Supply em San Jose e Agris Farms de Walnut Oaks.

Ambos eram análogos ao acordo entre a PharmaCann e a MedMen, no sentido de que se tornavam muito caros ou diluídos, disse Berman. Desde que a Harbourside listou ações na bolsa canadense em junho, suas ações caíram de US$ 4 para pouco mais de US$ 1.

lazy placeholder Um acordo de maconha de grande sucesso fracassa e mais pode desmoronar nos EUA

#PraCegoVer: fotografia de um cultivo indoor de maconha em larga escala, onde pode-se ver várias fileiras quádruplas de plantas em período vegetativo plantadas em vasos pretos, e um homem que está ajoelhado, enquanto manuseia uma delas. Foto: Jim Wilson | NYT.

“Quer se trate de grandes negócios caindo aos pedaços ou pequenos negócios caindo aos pedaços, acho que haverá mais disso”, disse Berman.

A queda vertiginosa das ações da MedMen – ações agora de US$ 1,42 contra US$ 4,46 no ano passado, quando o negócio foi anunciado – afundou o valor de aquisição da PharmaCann, que é totalmente acionária.

As condições mais amplas do mercado tornaram a decisão mais fácil.

“Ficou claro para ambos os lados que estaríamos melhor sem o outro”, disse à CNN Business Jeremy Unruh, diretor de assuntos regulatórios e públicos da PharmaCann de Chicago.

A PharmaCann está confortável com suas posições no Nordeste e no Meio-Oeste, principalmente no estado de Illinois, que deve iniciar as vendas de cannabis pra uso adulto em 1º de janeiro de 2020, disse ele. A PharmaCann possui mais de duas dúzias de licenças em seis estados e 13 dispensários operacionais até o momento. Atualmente, está renomeando suas localizações como Verilife.

A PharmaCann, de capital fechado, precisará arrecadar dinheiro à medida que se expandir e, com base em uma resposta “extremamente positiva” recebida terça-feira de parceiros atuais e potenciais, Unruh acredita que o pipeline de investimentos é sólido.

A MedMen, da Califórnia, recebeu quatro presentes de despedida em troca de perdoar uma linha de crédito de US$ 21 milhões à PharmaCann: uma licença para uma instalação na Virgínia; uma licença para uma loja na área da Grande Chicago; uma instalação de cultivo e produção em Illinois; e uma loja operacional em um subúrbio de Chicago.

“Olhando para o portfólio da PharmaCann hoje, Illinois emergiu como a oportunidade mais atraente para o nosso plano de crescimento estratégico de longo prazo”, disse Adam Bierman, cofundador e diretor executivo da MedMen, em comunicado.

No curto prazo, a MedMen se concentrará em seus mercados existentes, incluindo a Califórnia, onde possui 17 licenças e o desejo de operar 30 lojas até o final de 2020.

Nos últimos meses, os executivos da MedMen tentaram reduzir custos e fortalecer questões de liquidez com um contrato de dívida conversível de US$ 280 milhões liderado pela Gotham Green Partners.

“Para mim, a estrutura dessa transação seria garantir que Gotham Green tivesse um assento significativo na mesa caso houvesse necessidade de uma reestruturação de emergência”, disse Hershel Gerson, CEO da empresa de investimentos bancários em maconha ELLO Capital. “Não estou convencido de que [a MedMen esteja] fora de perigo”.

anúncio do acordo também incluiu a notícia de que a MedMen demitiu seu chefe executivo – continuando a turbulência no nível C, que incluiu o afastamento de executivos e uma ação movida por um ex-CFO.

“O nível de rotatividade de executivos seniores, em nossa opinião, tem sido mais um padrão em vez de ser uma seleção para sucesso futuro e deve continuar sendo monitorado daqui para frente”, escreveu Vivien Azer, analista da Cowen, em nota de pesquisa na terça-feira.

Um porta-voz da MedMen não foi encontrado para comentar.

Tradução: Joel Rodrigues | Smoke Buddies.

Leia também:

Problemas financeiros de gigante da maconha são um aviso para a indústria

#PraCegoVer: fotografia (em destaque) em vista diagonal que mostra uma fileira de pequenos expositores redondos transparentes contendo flores de maconha secas, sobre uma bancada de madeira. Foto: MedMen.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!