Abrace adia o fornecimento de óleo de cannabis a médicos expostos ao coronavírus

bud oleo Abrace adia o fornecimento de óleo de cannabis a médicos expostos ao coronavírus

Segundo nota da Abrace, com a repercussão da imprensa, alegando que a associação testaria a eficácia do óleo de cannabis contra o Covid-19, se criou um ambiente que exige várias etapas e, por causa disso, a mesma teve que alterar a ideia inicial

A Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace Esperança) vem informar que adiou o envio de frascos de óleos ricos em canabinoides para médicos, o que estava previsto para acontecer este mês de abril.

Leia mais – Cannabis x Coronavírus: conheça o experimento que a Abrace realiza com médicos

lazy placeholder Abrace adia o fornecimento de óleo de cannabis a médicos expostos ao coronavírus

A ideia inicial era fornecer óleos de Cannabis para médicos que estão no front contra o novo Covid-19. Nada diferente do que a ABRACE já faz quando atende médicos “pacientes” que chegam precisando desse tratamento. Mas devido ao momento de urgência que estamos passando, criou-se uma expectativa da mídia que transformou a ideia em um estudo observacional como se já estivesse com protocolo pronto e aprovado. O que ainda nem deu tempo de acontecer, pois a ideia surgiu no dia 2 de abril após chegar a notícia que um médico prescritor tinha sido infectado.

Com a repercussão de matérias da imprensa, que alegou que a ABRACE ia testar a eficácia do óleo esperança contra o novo Covid-19, se criou um ambiente que exige várias etapas e isso inclui desenhar e submeter um protocolo a um conselho de ética, o que leva bastante tempo. Por causa disso, a Abrace teve que alterar a ideia inicial.

Devido à repercussão das matérias, surgiram vários pesquisadores, médicos, farmacêuticos e instituições demonstrando interesse em participar gratuitamente do estudo. E isso acabou gerando um grupo de trabalho que agora está atuando diariamente para desenhar um protocolo e submeter ao conselho de ética e, só então, a ABRACE deverá fornecer o produto para que se estude diversos marcadores clínicos em humanos.

Não era nossa intenção alegar que a Cannabis tem efeitos positivos contra o Covid-19, mas é impossível ficar vendo em tempo de pandemia as pessoas morrerem sem esperança de uma solução. O conhecimento de que a Cannabis possui centenas de estudos clínicos e não clínicos de sua eficácia em diversas condições e sintomas, nos faz acreditar que temos boas chances de encontrar respostas positivas.

O que carece ao Brasil e ao mundo é reconhecer seu efeito terapêutico e a importância dessa planta milenar na saúde das pessoas. Como sempre, se ignora os estudos clínicos e não clínicos da Cannabis. Em 6 anos de fundação da Associação, já foram 7 pesquisas aprovadas por conselhos de ética com diversos artigos, inclusive um artigo premiado. Mas em tempos de pandemia, cresce o interesse por soluções milagrosas com pesquisas muito pequenas. Mesmo que essa pesquisa leve meses para ser aprovada, não iremos desistir. Por isso é hora de prudência para não gerar confusão e rezar para que aprovem.

Leia também:

Universidade de Miami faz estudo sobre impacto do Covid-19 em pacientes de cannabis

#PraCegoVer: fotografia (de capa) em plano de fechado de um bud de maconha seco, em tons de verde e marrom, próximo a porções de um óleo amarelo dispostos na forma de um arco, sobre uma superfície branca. Foto: Sherpa SEO | Wikimedia Commons.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!