União e resistência na forma como fazemos negócios

uniao resistencia militancia cannabis União e resistência na forma como fazemos negócios

A luta pela legalização da maconha é para quem tem sangue frio e muita resiliência. Os veículos de comunicação canábicos ainda sofrem censura, mas a união e a resistência na forma como fazemos negócios serão nosso pilar.

Hoje trago uma discussão que considero fundamental para a comunidade canábica, mas também muito íntima e pessoal, já que estou envolvido de mente e alma na questão. Já tive a oportunidade de falar aqui sobre alguns aspectos que envolvem o cotidiano de consumidores de conteúdo canábico, como a importância dos weed influencers e de sites exclusivos sobre o assunto. E, como você deve saber, muita coisa evoluiu desde a criação da Smoke Buddies, em 2011, hoje não faltam fontes de informação sobre o tema, para todos os gostos e perfis, além de empresas, produtos e serviços relacionados.

Por outro lado, é fato que o mercado editorial, de comunicação e de jornalismo no Brasil é para quem tem sangue frio e muita resiliência – bem parecido com a caminhada de quem luta pela legalização da maconha. Quando falamos de um veículo de comunicação sobre maconha, então… você pode imaginar os obstáculos que superamos todos os dias. Na última sexta-feira, 16 de novembro, o perfil da Smoke Buddies no Instagram, com mais de 95 mil seguidores, foi deletado pela rede, sem explicações concretas, junto a outros perfis canábicos, como o da marca paulistana Jonha. Embora ambas as contas tenham sido recuperadas depois de dois dias, outras não tiveram a mesma sorte (a exemplo da Anninha Wolff e das Girls in Green, cujo perfis foram removidos). A situação é mais recorrente do que pensamos e se estende a outras plataformas online, um mero exemplo da complexidade que é comunicar sobre maconha no Brasil.

A trajetória da Smoke Buddies é feita de pequenos milagres e um esforço constante – e sabemos que para crescer, diversificar o conteúdo e ter uma equipe especializada e focada, é preciso arriscar. Estamos bolando, há um tempo, uma forma de dar suporte ao inevitável crescimento da nossa marca: um plano de expansão, com uma sede própria que permitirá a realização de eventos, ampliação da equipe para aumentar a produção de conteúdo de ponta e a presença em mais ações e empreitadas canábicas pelo Brasil e fora.

Confiantes que teremos o suporte, demonstrado mais uma vez pelas inúmeras mensagens de apoio que recebemos de quem vê valor no nosso trabalho, resolvemos dar nossa grande tacada. Reunimos os amigos de fumaça, raspamos o cofre e direcionamos nossos últimos esforços e recursos para a produção excepcional da segunda safra da Strains Collection – uma coleção de camisetas inéditas da Smoke Buddies, com estampas exclusivas, desenhadas e assinadas pelo artista canábico Zanon, que simbolizam algumas das mais famosas variedades de maconha que fazem a cabeça de muitos buddies mundo afora.

Entre amanhã (20) e sexta (23), faremos um lançamento limitadíssimo das novas peças, femininas e masculinas, com o objetivo de garantir não apenas a manutenção da Smoke Buddies, mas as tão desejadas ações de consolidação da marca. E se, por um lado, você vai poder normalizar por aí com as camisetas Strains Collection e completar a sua coleção, por outro, tem a oportunidade de fazer uma escolha de consumo consciente, que certamente vai contribuir para o fortalecimento da cena canábica. Este é o real sentido de união e resistência na forma como fazemos negócios.

O tempo curto dessa campanha tem um motivo simples – o lote da nova safra é limitado, assim como foi o da primeira, que está e permanecerá esgotado. Por enquanto, manter uma coleção permanente ainda está no campo dos sonhos, que estamos, neste momento, tentando realizar.

Se você quer nos fortalecer nessa conquista, a hora é agora – para ser mais exato, a partir da 0h de amanhã, dia 20, até às 23h59 de sexta, dia 23. Se ligue nas nossas redes, aperte um, garanta sua(s) camiseta(s) e apoie a Smoke Buddies!

#PraCegoVer: fotografia (de capa) das mãos de uma pessoa que está atrás da câmera, tatuadas com as siglas THC (mão esquerda) e CBD (mão direita) e formando um coração por onde pode-se ver (plano de fundo) o morro Dois Irmãos, no Rio de Janeiro. Créditos: eu mesmo.

lazy placeholder União e resistência na forma como fazemos negócios

Sobre Dave Coutinho

Carioca, Maconheiro, Ativista na Luta pela Legalização da Maconha e outras causas. CEO "faz-tudo" e Co-fundador da Smoke Buddies, um projeto que começou em 2011 e para o qual, desde então, tenho me dedicado exclusivamente.