Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

retrospectiva da maconha as noticias mais importantes de 2017 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

O ano foi repleto de mudanças significativas no jeito que o Brasil e o mundo lidam com a erva. Não faltaram oportunidades de compartilharmos notícias que provaram exatamente isso. Que tal relembrar ao nosso lado todos esses enormes passos que a humanidade deu a favor da planta? Confira a nossa Retrospectiva da Maconha 2017!

Ah, 2017! Apesar de ser mais um ano em que pudemos presenciar inúmeras injustiças, prisões e outros retrocessos quando o tema é a maconha – principalmente no Brasil, um lugar que parece andar na contramão do mundo -, temos que admitir que foi um período e tanto para ser simpatizante da causa. A Smoke Buddies, como um dos principais disseminadores de notícias sobre o tema, teve o prazer de poder divulgar acontecimentos que provaram que a legalização da erva em suas diversas vertentes é o caminho a ser seguido.

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Por isso, a Retrospectiva da Maconha deste ano está deliciosa! Nela, relembramos os principais e mais importantes acontecimentos do universo da maconha nas terras tupiniquins e no restante do globo. A sociedade deu importantes passos rumo à liberdade de cultivo e uso da maconha, tanto para fins recreativos quanto medicinais.

 

Janeiro

Hollyweed ~ Crise Penitenciária ~ Autorização para Cultivo ~ Morte de ministro

Enquanto um trocadilho que transformou o famoso letreiro de Hollywood em Hollyweed abriu o ano de 2017 fazendo sucesso, um drama que não é ficção se alastrou por todo o sistema penitenciário brasileiro.

A realidade medieval do sistema penitenciário nacional, invisível para parte da população, por vezes explodiu como uma bomba e trouxe à tona a indiferença com que o Brasil trata a questão. O país, que já foi citado em diversos relatórios de Direitos Humanos da ONU pelas condições deploráveis de seus cárceres, tem um histórico de tragédias ocorridas atrás das grades.

Do Carandiru a Manaus, Brasil lota presídios para combater tráfico de drogas sem sucesso

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Contrapondo o retrocesso, a Justiça começa a conceder a famílias brasileiras o direito de cultivar a própria maconha para fins terapêuticos.

“Excelência, eu já estou plantando. E não me sinto criminosa por isso”, disse a bancária e ativista Maria Aparecida de Carvalho, uma das mães beneficiadas.

Justiça autoriza pais a plantar maconha em casa para tratar filhos

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Depois de mais de um ano que o Ministro Teori Zavascki havia pedido vistas do processo RE 635.659, que trata da descriminalização do porte de maconha e outras drogas, o mesmo veio a falecer em 19 de janeiro em queda de avião no litoral carioca, antes mesmo de emitir seu voto. Teori também era o relator da Lava Jato no Supremo.

Morre ministro do STF Teori Zavascki em queda de avião no litoral carioca

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

E fechando janeiro, lembramos e ressaltamos em editorial da Smoke Buddies que a descriminalização da maconha pode ser uma das soluções para a crise no sistema carcerário, já que uma gigante parcela das pessoas presas no país estão ali por causa de uma lei que não é clara ao distinguir usuários de traficantes.

Descriminalização da maconha pode ser uma das soluções para crise no sistema carcerário

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Fevereiro

Barroso pró-legalização ~ Alexandre, o ninja paraguaio ~ Pesquisas sobre a Maconha Medicinal avançam no mundo e emperram no Brasil ~ Bolsa de valores e fundo de investimentos são a aposta canadense ~ Carnaval canábico normaliza o mês de fevereiro

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu a legalização da maconha como forma de aliviar a crise do sistema penitenciário brasileiro. Segundo ele, a medida desmontaria o tráfico de drogas e, com isso, o número de condenados diminuiria. Barroso afirmou que, se a experiência desse certo com a maconha, seria o caso de legalizar também a cocaína.

Barroso defende legalização da maconha e da cocaína contra crise penitenciária

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Ainda sobre o STF, após a morte de Teori Zavascki em janeiro, o Presidente Temer indicou para a vaga o ministro Alexandre de Moraes, conhecido por querer erradicar toda a maconha da América do Sul, e com um facão. #ForaTemer

E num lapso de sensatez o ministro percebeu que erradicar a maconha do continente não tem cabimento e com isso o RE 635.659 segue engavetado em alguma mesa de Moraes.

Bônus: 3 minutos do ministro cortando maconha no Paraguai.

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Descriminalização da maconha e outras drogas está nas mãos de Alexandre de Moraes

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Em um importante estudo na área da ciência e medicina, mais de 10 mil pesquisas científicas foram revisadas por um gabaritado time de especialistas das Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina dos Estados Unidos (Nasem).

A revisão, que envolveu estudos divulgados desde 1999, analisou as evidências científicas existentes até aqui sobre os efeitos dos derivados da maconha para a saúde — e suas possíveis relações, positivas ou negativas, com doenças mentais, cardiovasculares, entre outras.

Confira o que a ciência sabe até agora sobre os efeitos da maconha à saúde

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Além desse, outro estudo que enriqueceu os benefícios da cannabis foi realizado nos EUA, Nova Iorque, e revelou que substâncias presentes na maconha poderiam reduzir a fissura em heroína e aliviar os sintomas de abstinência. O estudo foi motivado pela epidemia de opioides que é uma das principais causas de morte no país.

Maconha pode aliviar vício em heroína, diz estudo

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

No campo econômico, desde fevereiro, os canadenses podem investir na maconha pela Bolsa de Valores. A Canopy Growth passou a usar o ticker WEED (“erva”) nas negociações da Bolsa, após suas ações mais do que triplicarem com a expectativa da legalização da maconha recreativa.

Agora é possível comprar e vender maconha na Bolsa de valores do Canadá

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Na mira da legalização recreativa, que deve ocorrer em 2018, o fundo de investimentos imobiliários Pure Industrial, do Canadá, vê futuro no ramo da maconha.

Voltando a Terras Tupiniquins, psiquiatra discute o desafio de pesquisar maconha no Brasil. Especialista aponta benefícios do uso medicinal da maconha, além do potencial pouco explorado da erva no combate ao câncer. Em entrevista para o jornal O Povo, Dartiu Xavier da Silveira critica entraves à pesquisa e defende regulamentação medicinal da planta.

Psiquiatra discute o desafio de pesquisar a maconha no Brasil

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Em fevereiro, a Carta Capital mostrou que a Fiocruz irá desenvolver medicamento à base de maconha para o SUS. Apesar de parecer um alívio aos pacientes e famílias que necessitam da cannabis em seu tratamento, a previsão é de cinco a dez anos para que pacientes tenham acesso ao fitomedicamento. Lamentavelmente, a condição de muitos pacientes podem tirar suas vidas antes de terem acesso à medicação.

Fiocruz vai desenvolver medicamento à base de maconha para o SUS

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Fechando fevereiro e abrindo o mês de março, o Planta na Mente realizou seu sétimo desfile na quarta-feira de brasas e arrastou uma multidão de foliões pelo centro da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a organização, o cortejo arrastou mais de 42 mil pessoas no Bloco que normaliza a maconha em clima de folia. Assista:

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Março

Maconha e o SUS ~ MPF e a regulamentação de sementes ~ Recall de cannabis ~ Colômbia na rota da legalização ~ Anvisa e suas promessas ~ “Maconha Sintética”

Dois anos após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retirar da lista de substâncias proibidas o canabidiol, composto presente na maconha indicado para o tratamento de várias doenças, 2.232 brasileiros conseguiram autorização do órgão para importar o produto. Ao mesmo tempo, aumenta no país o número de pacientes que estão recorrendo à Justiça para fazer com que o Sistema Único de Saúde (SUS) arque com os altos custos da substância, usada no tratamento de doenças degenerativas e epilepsia e até para ajudar a suportar o tratamento de câncer.

Pacientes exigem que SUS pague tratamento a base de maconha

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Com o cultivo caseiro sendo a melhor opção diante do alto custo do medicamento, o MPF cobrou da ANVISA uma regulamentação da importação de sementes de maconha. Órgão deu o prazo de 180 dias para a agência cumprir recomendação, mas até o dia de hoje nada mudou.

MPF cobra regulamentação da importação de sementes de maconha

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Enquanto isso, nas terras de Donald Trump, a regulamentação da maconha ajuda a reduzir riscos de consumo. A indústria recreativa da maconha no estado do Oregon teve seu primeiro recall neste ano, quando um lote de flores foi testado, reprovado por conta do alto nível de pesticidas e retirado das prateleiras.

Oregon faz 1º recall de maconha

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

Imagine um país tomar uma droga ilegal supervisionada por uma organização criminosa e tentar substituí-la pela mesma cultura produzida legalmente e vendida por corporações? É o que vai acontecer na Colômbia, após acordo de paz realizado com as FARC. A produção de maconha legalizada pode se tornar fundamental para a economia colombiana que lutou contra o narcotráfico por décadas.

Colômbia vê oportunidade na maconha após décadas de luta

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

De volta ao Brasil, depois de aprovar o uso medicinal do CBD e do THC e autorizar a venda do medicamento Mevatyl, a Anvisa deu sinais que seguiria avançando, mesmo que a passos lentos, na regulamentação do plantio de maconha para fins medicinais por empresas ou associações.

ANVISA estuda regular cultivo medicinal de maconha até o final do ano

 Retrospectiva da Maconha: as notícias mais importantes de 2017

E para fechar o mês, nós da Smoke Buddies mandamos um recado a toda a imprensa brasileira: MACONHA SINTÉTICA NÃO É MACONHA!

Quanto mais informações sobre a maconha e seus usos, mais normalizado fica o tema, mas tão importante quanto isso é não banalizar. E foi o que fizemos com este post, onde alertamos à mídia tradicional, e principalmente aos que não são especializados em maconha, que de pré-conceitos, tabus e falácias o proibicionismo que alimenta uma guerra mercenária e falida contra as drogas já está cheio. Então reflitam antes de banalizar.

Maconha ou “Maconha Sintética”? O que o erro da Quatro Rodas tem a nos ensinar

Abril

África do Sul, Argentina, Canadá, Colômbia, Itália e México mostram avanços pela legalização ~ Editorial ‘O Globo’ pede fim da guerra às drogas ~ UFSCar estuda a cannabis no tratamento de sintoma do Parkinson ~ Exposição explana usuários a favor da regulamentação

Um tribunal da África do Sul emitiu, no dia 31 de março, uma decisão histórica que permite a posse, cultivo e uso pessoal de maconha por adultos em suas casas.

África do Sul legaliza uso e cultivo privativo de maconha

Graças à promulgação de uma lei que permite o uso terapêutico de maconha, a Argentina se une a outros países latino-americanos que já contam com medidas que regulam o uso medicinal da cannabis.

Argentina promulga lei que libera maconha para uso medicinal

Na Colômbia, o Ministério de Saúde regulamentou o uso médico e científico da maconha através de um decreto que permite o uso da semente da planta de cannabis para processos com estes fins, bem como para o controle de atividades de importação.

Colômbia libera uso medicinal e científico da maconha

No México, a Câmara dos Deputados aprovou, por maioria absoluta, a legalização do uso medicinal e científico da maconha. A medida inclui mudanças no Código Federal e na Lei Geral da Saúde.

México legaliza uso da maconha para fins medicinais

Na América do Norte, o governo canadense apresenta projeto para legalizar a maconha. Projeto limita a posse pessoal em 30 gramas e permite o cultivo de até quatro plantas por família. Se medida for aprovada, Canadá se tornará, em 2018, o segundo país no mundo a permitir o uso recreativo da erva.

Canadá apresenta projeto para legalizar maconha

Na Europa, após a sanção de uma lei que incentiva o plantio para uso industrial, o governo italiano aposta nos múltiplos usos da maconha como matéria-prima e na geração de empregos e renda que a erva pode proporcionar. A estimativa é que o país investirá até R$ 2,3 milhões por ano na ampliação das plantações.

De olho na geração de renda e de empregos, Itália investe na produção industrial da maconha

Mesmo diante de tantas pesquisas e avanços pelo mundo provando que a legalização é o caminho e quebrando tabus antigos como a relação “consumo de maconha x psicose”, no Brasil, o uso, cultura, cultivo, colheita, manuseio e porte de maconha continuam sendo criminalizados, mesmo sem existirem evidências científicas para a proibição das drogas.

‘Não há evidência científica para a proibição de drogas’, afirma médico e professor da UFRJ

Grupo de pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em SP, buscou idosos para estudo sobre efeitos da maconha no controle da ansiedade em pessoas com Parkinson.

UFSCar busca idosos para estudo sobre efeitos da maconha no controle da ansiedade no Parkinson

Teve até editorial d’O Globo declarando que “a guerra às drogas foi perdida”. “É sério equívoco criminalizar o usuário; isso só faz aumentar a violência e o próprio tráfico. Deve-se admitir que a abordagem clássica da questão, pela força, fracassou”, segundo declaração em editorial.

“A guerra às drogas foi perdida”, declara Editorial O Globo

E como o nosso objetivo é normalizar os usos, debates e opiniões sobre a maconha, junto com Phill Whizzman levamos a exposição/explanação Baseado no Cotidiano para as ruas do Rio de Janeiro no dia internacional da maconha, 20 de abril.

Exposição explana usuários e suas opiniões pela legalização da maconha

Maio

Registro de compradores de maconha no Uruguai ~ Associação e famílias ganham o direito de cultivar ~ Marchas e Atos se destacam no mês mais verde do ano ~ Anvisa inclui a Cannabis sativa na Farmacopeia ~ Recreativa, Industrial e Medicinal, a maconha avança pelo mundo em todos os seus usos

No Uruguai, tem início o registro para compradores de maconha em farmácias. Para se cadastrar é preciso ser maior de 18 anos e contar com a cidadania uruguaia legal ou natural e residência permanente devidamente credenciada.

No Brasil, famílias de pacientes que cultivam maconha são destaques no Fantástico:

Fantástico mostra família brasileira que cultiva e colhe maconha medicinal com autorização da Justiça

Em João Pessoa, Associação ganha na Justiça o direito de cultivar maconha para uso terapêutico. A decisão da Justiça Federal da Paraíba foi tomada em liminar e restringe o uso apenas para fins terapêuticos. A Abrace atende atualmente a 151 pacientes que precisam da maconha em seu tratamento.

Associação ganha na Justiça direito de cultivar maconha para uso medicinal

Maio Verde, como ficou conhecido no ativismo canábico, do ano de 2017 foi o mês no qual a Marcha da Maconha no Brasil, simultaneamente com o calendário global, percorreu as ruas de 10 cidades brasileiras em um único dia, 6 de maio, arrastando uma multidão de aproximadamente 150 mil pessoas para normalizar o debate e pedir a regulação da erva. Confira o balanço e como foram os atos pelo país.

150 mil pessoas pela legalização: Veja como foram as 10 Marchas da Maconha em todo Brasil

Dessas 150 mil pessoas, cem mil comparecerem à Marcha da Maconha de São Paulo. Com o tema “Quebrar correntes, plantar sementes”, a manifestação teve o envolvimento de vários rostos e VOZES e é isso que a Smoke Buddies trouxe para você. Conheça um pouco da opinião de quem estava lá sobre o tema da maconha e da liberação da erva para uso e plantio:

Tanto em São Paulo quanto no Rio, as marchas foram compostas por um público misto e diversificado que contou, inclusive, com a presença de famílias acompanhadas de crianças que não se importavam com o consumo público da maconha pelos presentes. Com seus baseados acesos ou docinhos canábicos, os participantes da Marcha compartilharam de um clima completamente Normalize, sem interferências da polícia ou de qualquer pessoa, dando uma mostra de como seria viver num Brasil legalizado.

E para contrapor o hábito da sociedade de enxergar o lado negativo, principalmente quando falamos em legalização, convidamos Nah Brisa para atacar de Hempórter na Marcha da Maconha do Rio de Janeiro e questionar “como seria viver em um Brasil legalizado” e “o que falta para alcançarmos essa realidade”.

Em maio também acompanhamos alguns debates do 5º Simpósio Internacional Maconha Outros Saberes que aconteceu em São Paulo. Em 2014, o evento foi um dos responsáveis por abrir as portas ao acesso medicinal da maconha no Brasil.

Cobertura 5º Simpósio Internacional Maconha Outros Saberes

Maio também é o mês das mães, e a galera do “Abra a Gaveta” não sequelou e desempenhou muito bem a sua missão de normalizar a maconha e lutar pela descriminalização, produzindo um vídeo especial que mostra o quanto é normal mãe e filha fumarem juntas.

Abra a Gaveta: mãe e filha fumam e debatem sobre maconha juntas [assista]

Depois de aprovar o uso medicinal do CBD e do THC e autorizar a venda do medicamento Mevatyl, a Anvisa incluiu a Cannabis sativa na Farmacopeia Brasileira.

ANVISA reconhece maconha como planta medicinal

Rita Lee e Whiz Khalifa representaram com estilo o mote ‘Normalize’. “Pensei que fosse falar de café, coca-cola, açúcar e álcool”, disse Rita Lee quando questionada sobre drogas por Pedro Bial.

“Pensei que fosse falar de café, coca-cola, açúcar e álcool”, responde Rita Lee a Bial sobre maconha

Segundo os dados divulgados na última edição da revista Marijuana Business Factbook, o mercado da erva nos EUA cresceu na casa dos dois dígitos no ano passado, ficando com um valor estimado em cerca de US$ 4 bilhões – um número bastante satisfatório, considerando que está próximo ao do mercado das pizzas congeladas que são o alimento congelado mais popular do país e começaram a ser comercializadas há pelo menos sessenta anos.

Mercado da maconha legal já é maior que viagra e tequila nos EUA

E nas terras do ditador Kim Jong-un, as autoridades norte-coreanas estão instruindo fazendeiros a cultivarem maconha ao invés de soja. O estado planeja usar o combustível de cânhamo para alimentar veículos militares aéreos não tripulados.

Coréia do Norte cultiva maconha para produzir biocombustível

De acordo com pesquisa realizada em Vancouver, Canadá, a maconha pode diminuir o consumo de crack e é mais eficaz que internação.

Maconha para reduzir o uso de crack é mais eficaz que internação

E no Paraguai, o Ministério da Saúde autorizou a importação e o uso regulado do óleo de maconha para fins terapêuticos. Medida que foi tomada pelo Brasil em 2016.

Paraguai autoriza importação de óleo de maconha medicinal

Junho

Pai de ativista quebra o tabu e usa óleo de maconha pela  1ª vez ~ High Times é comprada por Damian Marley ~ Ministro Barroso recomenda que país siga o exemplo de Portugal ~ DF recebe o primeiro programa de pré-aceleração de negócios voltado ao mercado canábico do país ~ Gigante do tabaco sinaliza intenção de entrar no ramo da maconha ~ No Colorado, receitas fiscais da maconha ajudam moradores de rua e programas de saúde mental

A normalização dos usos e debates sobre a maconha deve começar dentro de casa. E é isso que o ativista Vela Seiva Roxa tem feito há algum tempo. No seu canal Koé Lavé??, Vela mostra seu pai utilizando o extrato de cannabis pela primeira vez para cessar os tremores provocados pela doença de Parkinson.

Pai de ativista, portador de Parkinson, usa pela 1ª vez óleo de maconha

A High Times, revista especializada em maconha, principal voz do movimento canábico mundial e criadora da Cannabis Cup, foi adquirida por mais de US$ 70 milhões. Damian Marley, filho de Bob, está entre os investidores do grupo.

High Times é vendida por R$ 200 Milhões para grupo de empreendedores

O ministro Luís Roberto Barroso usa tendência do Supremo Tribunal Federal de não criminalizar mais o usuário, pelo porte de pequena quantidade de droga para uso pessoal, e concede Habeas Corpus a um homem preso por importar 14 sementes de maconha. O ministro também enfatiza seu voto no processo de descriminalização que tramita sob o Recurso Extraordinário 635.659, ao recomendar que o país siga o exemplo de Portugal, não considerando como tráfico a posse de até 25 gramas de maconha e permitindo o cultivo de até 6 plantas fêmeas.

Ministro cita tendência do STF de descriminalizar o uso de drogas

Enquanto o Distrito Federal é palco da maior crise política que o Brasil já viveu, em junho, rolou o primeiro programa de pré-aceleração de negócios e empresas voltado para o mercado canábico, a Maratona Ignition – Edição Lifestyle. Conversamos com o idealizador do evento, alguns participantes e em primeira mão com o dono do projeto vencedor.

O futuro do nosso mercado canábico

A gente já sabia e até demorou para acontecer! A gigante britânica do mercado de tabaco, Imperial Brands, acaba de anunciar a contratação de Simon Langelier, presidente da canadense PharmaCielo que fabrica extratos de CBD, sinalizando a intenção de ampliar seu leque de negócios, em vista da queda do número de fumantes.

Gigante do tabaco mira em mercado da maconha medicinal

No Colorado, a maconha está ajudando moradores de rua e no combate de opiáceos. Milhões de dólares em receitas fiscais das vendas de maconha estão sendo usados para ajudar sem-tetos, em programas de saúde mental e na criação de programa para tratar o vício em opiáceos.

No Colorado a maconha está ajudando moradores de rua e no combate de opiáceos

Julho

Vendas de maconha nas farmácias do Uruguai é destaque no mundo ~ Alta demanda por maconha surpreende governo de Nevada ~ Las Vegas fica ainda mais famosa com o turismo canábico ~ Primeiro medicamento à base de maconha registrado no Brasil não é acessível a pacientes ~ Sugestão Legislativa pede descriminalização do cultivo de maconha para uso próprio ~ Grupo de ativistas do DF registra clube de cultivo e desafia a lei ~ São Paulo recebe a segunda edição do Ganja Talks

Enquanto no Brasil as campanhas de prevenção ao uso se igualam a peças satíricas – “Você entraria num avião cujo piloto acabou de fumar um bagulho?“. No Uruguai, sob o slogan “Regular é ser Responsável” e às vésperas do começo da venda de maconha nas farmácias, campanha informa sobre a conscientização dos usos da cannabis.

Assim é a campanha de conscientização sobre a maconha no Uruguai

Depois de se atrapalhar com a data do início das vendas, o governo uruguaio finalmente começa a comercializar a maconha nas farmácias credenciadas. Segundo o IRCCA, as vendas começaram em 16 estabelecimentos habilitados, distribuídos por 11 departamentos do país.

Maconha começa a ser vendida em farmácias no Uruguai

Os dois primeiros tipos de maconha estatal que chegaram às farmácias do Uruguai possuíam a concentração máxima de 2% de THC. Segundo a especialista médica Raquel Peyraube, isso não é o bastante para competir com o narcotráfico.

Maconha uruguaia “não bate nada”, segundo especialista

Pode não bater nada, mas isso não foi problema para os usuários cadastrados que esgotaram os estoques das quatro farmácias da capital, visto que é uma alternativa legal para quem não pode pagar clubes.

“É como comprar remédio”, diz uruguaio no 1º dia de venda de maconha em farmácias.

O Estado de Nevada, o 7º dos EUA a permitir a venda e o uso social da maconha também chamou a atenção do mundo. Os primeiros 4 dias de venda legal geraram US$ 3 milhões (aproximadamente R$ 9,9 milhões) em receitas e por volta de US$ 500 mil (R$ 1,6 milhão) de arrecadação de impostos para os cofres públicos.

Dez dias depois do começo das vendas, o estado teve problemas com o excesso de demanda por maconha. Segundo informações, na ocasião o governo chegou a cogitar em declarar “estado de emergência”.

Estado dos EUA vendeu tanta maconha que estuda declarar “estado de emergência”

Ainda pelas terras norte-americanas, a cidade que já era famosa pelos diversos cassinos espalhados por suas ruas, Las Vegas, agora se torna mais famosa ainda por um outro motivo, digamos, mais verdinho.

Las Vegas embarca no turismo da maconha

No Brasil, apesar dos poucos avanços, o clima não é de festa. Após o primeiro medicamento à base de maconha ser aprovado pela Anvisa e registrado no país, o mesmo teve seu preço definido e poderá custar até R$ 2.837,40 ao consumidor final, um alto custo que não é acessível para a maioria dos pacientes.

Medicamento à base de maconha deve chegar este ano ao mercado com alto custo aos pacientes

Dias após o anúncio do valor do medicamento, nova Sugestão Legislativa (SUG 25) chega ao Senado pedindo a descriminalização do cultivo de maconha para uso próprio.

Nova sugestão chega ao Senado pedindo a legalização da maconha

Grupo de ativistas, familiares de pacientes e especialistas do Distrito Federal inicia o processo de registro do primeiro clube de cultivo de maconha do Brasil e pretende desafiar a lei com ato de desobediência civil, realizando o plantio coletivo da erva e obrigando o STF a julgar o caso.

‘Sabemos que podemos ser presos’: grupo desafia a lei para criar clubes de maconha no Brasil

A Anvisa novamente dá sinais de que pretende regulamentar o plantio de maconha para fins de pesquisas e produção de extratos medicinais, prometendo criar as regras até o final deste ano, o que ainda não aconteceu.

Anvisa vai criar regras para regular o cultivo de maconha até o fim deste ano

Para fechar o mês de julho, a Smoke Buddies foi conferir de perto o Ganja Talks 2017, que durou dois dias e foi realizado em várias casas e espaços culturais pela Vila Madalena, em São Paulo, ajudando a enriquecer e trazer ainda mais cultura e empreendedorismo no campo da maconha no país.

Com 2 dias de evento, Ganja Talks traz empreendedorismo e cultura da maconha para SP

O evento contou com a participação de inúmeras pessoas da cena canábica e, claro, nós da Smoke Buddies estávamos por lá, palestrando, expondo e cobrindo o evento. Que venha o próximo Ganja Talks.

Agosto

Julgamento de Rafael Braga ~ Ativismo se despede de mais um guerreiro ~ Empresa compra cidade inteira para transformar em “Maconholândia” ~ Nem tudo são flores ~ Defensoria Pública pede suspensão de processos criminais por porte de drogas para uso pessoal ~ Neil deGrasse Tyson pró-legalização ~ Governo envia ao STF parecer contra descriminalização da maconha medicinal ~ Justiça autoriza mulher a importar sementes de maconha ~ Matias Maxx e a maconha paraguaia ~ Smoke Buddies no Uruguay ~ STJ acolhe tese e decide que importação de sementes de maconha não é tráfico ~ Cresce no Brasil o mercado clandestino de óleo de maconha ~ Búzios cria associação de usuários medicinais de cannabis ~ Ex-comandante das UPPs do Rio defende legalização da maconha

Na contramão da tendência mundial, o Brasil ainda rasteja com uma decadente política de drogas que todos os dias encarcera como traficantes jovens negros e pobres pegos com pouca quantidade de droga. Apesar da mobilização de milhares de pessoas pelo país, Rafael Braga, preso durante as manifestações de 2013, ainda continua encarcerado pela posse de decigramas de cocaína.

JULGAMENTO DE RAFAEL BRAGA

O início do mês de agosto foi marcado por tristeza no ativismo canábico. No dia 2 de agosto, faleceu o militante Marco Antonio Barreto que era portador da doença Crhon e de epilepsia e lutava pela maconha medicinal que o auxiliava em seu tratamento.

O Ativismo se despede de mais um guerreiro. Vá em paz, Marco!

Seguindo a onda da legalização nos EUA, empresa produtora de maconha do Arizona compra uma cidade inteira para criar uma espécie de “Maconholândia” na fronteira com o Estado da Califórnia.

Produtora de maconha compra cidade para transformar em destino turístico

Nem tudo são flores no processo de regulação da maconha. No Uruguai, os bancos estrangeiros, com matrizes em países onde a erva não é legalizada, se recusam a manterem as contas das farmácias que comercializarem a cannabis.

Bancos querem encerrar contas de empresas ligadas à maconha no Uruguai

A Defensoria Pública do estado de São Paulo pede ao STF que sejam suspensos os processos criminais por porte de drogas para uso pessoal, alegando que não há previsão para que a corte retome a análise do RE 635.659 que em agosto completava dois anos de inércia.

Defensoria pede suspensão de ações por porte de drogas

Assim como Carl Sagan, Tyson também é pró-legalização e deixa isso claro ao dizer que “não há nenhuma razão para que a maconha seja ilegal”.

Não há razão para proibição da maconha, afirma Neil deGrasse Tyson

Advocacia-Geral da União envia ao STF parecer contrário à descriminalização da maconha para fins medicinais. Documento assinado por Michel Temer se refere à ação apresentada pelo PPS.

Governo envia ao STF parecer contra descriminalização da maconha para uso medicinal

Enquanto o governo federal realiza esforços para emperrar o avanço da legalização da maconha medicinal, na outra ponta uma servidora pública de São Paulo conquista na Justiça o direito de importar sementes de maconha e cultivar a planta em sua residência, com o objetivo de extrair o seu próprio óleo medicina.

Justiça autoriza mulher a importar semente de maconha para uso medicinal

Matias Maxx vence concurso de microbolsas voltado ao tema da política de drogas e da maconha e passa quinze dias em uma plantação ilegal de cannabis no Paraguai. A trip do jornalista rendeu excelentes artigos que foram publicados pela Agência Pública, um é o Como nasce o “prensado” que fala sobre o processo de fabricação e distribuição da marihuana paraguaia ilegal e, principalmente, expõe a total falta de controle de higiene no processo produtivo de uma substância proibida.

Em “Destrinchando a maconha paraguaia”, Maxx mostra a realidade de comunidades que trabalham pesado em gigantescas plantações ilegais de cannabis escondidas pela região de Pedro Juan Caballero.

Destrinchando a maconha paraguaia

Para acompanhar de perto como anda a regulamentação da maconha em nosso país hermano, fomos até o Uruguai e partimos para uma trip pelo país. Conhecemos locais, turistas e cidadãos uruguaios os quais nos mostraram que a Lei da Marihuana vai muito bem nos moldes de uma “Regulación Responsable”.

Smoke Buddies no Uruguay: como está o país com a maconha legalizada

Contrariando jurisprudência anterior, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça seguiu parecer do Ministério Público Federal e entendeu que a importação de sementes de maconha em pequena quantidade não configura tráfico internacional de drogas.

STJ acolhe tese e decide que importação de sementes de maconha não é tráfico

A necessidade pela maconha medicinal de muitas famílias e pacientes e a inexistência de regulamentação faz com que cresça a cada dia mais o mercado clandestino de óleo de maconha no Brasil.

Cresce no Brasil o mercado clandestino de óleo de maconha

Armação dos Búzios, no RJ, entra no circuito da legalização com a criação, por usuários e ativistas da maconha medicinal, da associação AMACANNABIS que solicitou na Justiça autorização para a produção de CBD e THC, com o objetivo de fornecer tratamento para doenças neurológicas.

Búzios cria associação de usuários medicinais de cannabis

Para o coronel da Polícia Militar, e ex-comandante das UPPs do Rio, Robson Rodrigues, regulamentar a erva “desoneraria e muito as polícias Civil e Militar para que elas pudessem focar em outros crimes, como homicídio e armas”.

Ex-comandante das UPPs do Rio defende legalização da maconha

Setembro

Exame toxicológico para tirar CNH ~ Mães latino-americanas cultivam o amor na ilegalidade ~ Ras Geraldinho,  a lei não é para todos ~ Militar é absolvido por não conseguir nem acender um baseado ~ Governo uruguaio dribla bancos ~ SUG 25 avança no Senado e tem apoio da grande maioria dos internautas ~ Justiça do Ceará emiti o primeiro habeas corpus para um adulto cultivar maconha ~ Peru dá o 1º passo rumo à cannabis medicinal ~ Mulher cura câncer terminal no cérebro com óleo de maconha ~ Rafael Braga: mais um rapaz comum ~ Fantástico debate legalização da maconha ~ Platô: Drogas e Políticas ~ Câmara de Campinas aprova lei que multa usuários de drogas

Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprova projeto de lei que inclui o exame toxicológico para maconha e outras drogas ilícitas entre os pré-requisitos exigidos do candidato à primeira habilitação nas categorias A ou B. Pela proposta, o exame também será exigido nas renovações da CNH para condutores que exerçam atividade remunerada.

Exame toxicológico poderá ser exigido para primeira carteira de motorista

No México, o maior avanço da legislação de drogas foi a liberação do uso do CBD para pesquisas clínicas e sua importação para o tratamento de algumas doenças. O que ainda deixa desamparado quem mais precisa da medicação e faz com que mães de pacientes de maconha medicinal sigam o exemplo das fundações chilenas e produzam o seu próprio medicamento através do autocultivo.

Mães latino-americanas cultivam amor e colhem vida na ilegalidade

Em um país onde donos de aeronaves abarrotadas de cocaína são absolvidos, o caso de Ras Geraldinho mostra que no Brasil a lei não é para todos. Em entrevista a Thiago Tomazine, o líder religioso, que está preso desde 2012, fala mais sobre o caso.

Em entrevista Ras Geraldinho fala sobre sua condenação, sistema, maconha e vida na prisão

1ª Turma do Supremo Tribunal Federal absolve militar que havia sido condenado a um ano de prisão por estar com 0,02 gramas de maconha no quartel. Por unanimidade, o colegiado entendeu que o crime era impossível, já que a quantidade de droga era tão pequena que impossibilitava o seu uso.

STF absolve condenado por ter maconha que “não dá nem pra acender”

Governo uruguaio anuncia a regulação de um novo tipo de comércio para a venda da maconha legal e vai de encontro aos obstáculos interpostos pelos bancos às farmácias. Novos estabelecimentos, junto às farmácias credenciadas, passarão a comercializar a cannabis sem operar no sistema financeiro.

Uruguai criará alternativa para venda de maconha

Mesmo sob a repressão de seu relator que logo no início do processo emitiu relatório rejeitando a proposta, a SUG 25 segue para mais uma etapa com a aprovação pela CDH de audiência pública e recebe o apoio da grande maioria dos internautas que responderam à consulta pública disponibilizada no site do Senado. A sugestão resultou da Ideia Legislativa nº 78.206, proposta pelo cidadão Gabriel Henrique Rodrigues de Lima, morador de São Paulo, onde o proponente elenca vantagens que derivariam da descriminalização do cultivo de cannabis para uso próprio.

Cultivo de maconha para uso próprio tem apoio da maioria em consulta pública

Após famílias e pacientes do Rio e São Paulo conseguirem o habeas corpus preventivo para o cultivo de cannabis, a cidade de Fortaleza entra nesse circuito com a decisão da Justiça do Ceará que emitiu o primeiro habeas corpus que autoriza a um paciente adulto a cultivar maconha em sua residência.

Paciente tetraplégico de Fortaleza obtém autorização para cultivar maconha medicinal

 

No Peru, grupos de familiares de portadores de epilepsia e esquizofrenia mantinham um laboratório clandestino para a fabricação de óleo de maconha que foi descoberto por operação policial. O caso sensibilizou o governo que, então, tomou a iniciativa de dar andamento no projeto de lei que legaliza o uso terapêutico da cannabis.

Congresso do Peru dá 1º passo pelo uso medicinal da maconha

A escocesa Lynn Cameron recebeu de seu médico a expectativa de somente mais seis meses de vida, por causa de um câncer cerebral “incurável”. Após realizar pesquisas por conta própria, Lynn se viu diante de outra alternativa para o seu caso, o que a fez quebrar a lei e buscar o tratamento ilegal. Lynn curou seu câncer terminal com óleo de maconha.

Mulher cura câncer terminal no cérebro com óleo de maconha

Rafael Braga foi preso injustamente em 2013 durante uma das manifestações históricas no Rio de Janeiro por portar uma garrafa de desinfetante – a única prisão feita na data – e, posteriormente, acusado de tráfico de drogas. A VICE investigou mais sobre a prisão do ex-catador de latas e produziu o documentário “Mais um rapaz comum”.

Mais um rapaz comum: documentário da VICE reconta história de Rafael Braga

No dia 24 de setembro, o Fantástico exibiu uma matéria sobre a legalização da maconha que ficou devendo informação sobre os temas descriminalização e regulamentação. Pacientes e familiares que usam a maconha para fins medicinais, especialistas e militantes criticaram a exibição do programa.

Fantástico “debate” legalização da maconha, mas deixa a desejar segundo audiência

A Plataforma Brasileira de Política de Drogas (PBPD), em parceria com o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), lançou a “Platô: Drogas e Políticas”, a 1ª publicação no país a tratar exclusivamente do tema.

Platô, a primeira revista do país sobre política de drogas do Brasil

A Câmara dos Vereadores de Campinas (SP) aprovou em 1ª votação o projeto de lei que prevê aplicação de multa para usuários de drogas em locais públicos do município. Se passar em 2ª votação e for sancionada pelo prefeito, a lei será a primeira no país que trata especificamente de autuação a usuários de droga. Especialistas da Unicamp emitiram uma nota técnica em que “repudiam o projeto de lei em virtude de seu caráter inconstitucional e danoso à saúde pública”.

Câmara de Campinas aprova projeto que multa usuários de drogas

 

Outubro

Promessa de regulamentação do cultivo para 2018 ~ Redes clandestinas e Clube de Cultivo desafiam a lei ~ Polícia e a meta de prisões ~ Delegado e traficante defendem a descriminalização da maconha ~ Refugiados no Uruguay ~ CDH debate descriminalização do cultivo de maconha ~ Salvador cria associação para atender a pacientes da cannabis medicinal

Com o preço sendo o principal entrave para o acesso à terapia à base de maconha, que não é oferecida nem pela rede pública nem pelos planos de saúde, Agência prevê que até o fim do ano o protocolo técnico esteja pronto para ser encaminhado a uma consulta pública. Expectativa é que regras para o cultivo da ‘Cannabis sativa’ para uso medicinal saiam no primeiro semestre de 2018.

Anvisa deve regulamentar o cultivo da maconha

E quando falamos que a ANVISA e Justiça andam vagarosamente lado-a-lado e só vivem de promessas é porque sabemos a importância da regulamentação da maconha para a saúde e segurança de usuários e seus familiares. Para tratarem as doenças raras de seus filhos, famílias desafiam a lei e recorrem a meio clandestino para obterem o óleo à base de maconha. A única alternativa para muitas mães e pais que não podem arcar com os altos custos dos medicamentos importados, uma vez que as vidas de seus filhos não podem esperar a morosidade de uma decisão judicial.

Nós da Smoke Buddies acreditamos que para a solução de inúmeros efeitos colaterais causados pela política de proibição das drogas, a regulamentação dos usos, cultivo e manipulação da maconha não deve ser exclusiva para fins terapêuticos. Assim como a regulamentação do uso medicinal da maconha, a regulação do uso social da planta também traz benefícios à sociedade e ao próprio usuário e, mesmo que entidades reacionárias finjam não enxergar, é uma maneira eficaz de se combater o tráfico de drogas.

E diante dessa finalidade e necessidade é que um grupo de usuários do DF resolveu realizar uma desobediência civil coletiva e planejada e registrou um Clube de Cultivo. “O Clube foi montado com a finalidade de quem faz uso social e recreativo da cannabis”, segundo um dos fundadores.

No DF, grupo desafia a lei e faz plantio de maconha sem aval da Justiça

Quando falamos em segurança do usuário, num cenário proibicionista como o do Brasil, é por conta de ações que contrariam o que está na Lei. No país o usuário de drogas não é descriminalizado. É o que ilustraram bem as investigações da Delegacia de Homicídios de Niterói, que acarretaram na prisão de 82 PMs do 7º BPM de São Gonçalo, no Rio. Os policiais estão sendo acusados de receberem dinheiro de traficantes para não coibirem o tráfico de drogas, além de condenarem usuários como traficante.

PMs prendiam usuários de drogas como traficantes para alcançar meta

Pera aí, se você ainda tá achando que isso é papo de quem defende a legalização, então ninguém melhor do que um delegado de polícia com vasta experiência no combate ao tráfico de drogas para explicar que a guerra às drogas não funciona. Paulo Grillo, que já trabalha há 26 anos na Polícia Civil e hoje é diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, está convencido de que a política de repressão às drogas não é a solução para o problema e defende uma nova abordagem, a exemplo de como está sendo feito no Uruguai.

“Está na hora de olhar para o Uruguai”, diz delegado em defesa a descriminalização da maconha

E se você ainda acha pouco esses argumentos, vale conferir o que Marcinho VP, apontado como a principal liderança da facção Comando Vermelho (CV) e há 21 anos preso em penitenciárias federais, disse ao defender a legalização da maconha: “O tráfico de drogas não acaba porque financia campanhas políticas no Brasil”.

Marcinho VP defende legalização da maconha e diz que tráfico financia políticos

Se a legislação acerca da maconha no país não mudar, mais injustiças continuarão sendo realizadas e o potencial econômico da erva que poderia ser usado em benefício de toda a sociedade continuará sendo desperdiçado, fazendo com que mais brasileiros se refugiem em países onde a maconha já é legal.

Como é o caso dos brasileiros que conhecemos por nossa trip pelo Uruguai que largaram tudo por aqui em busca da sonhada liberdade canábica.

Refugiados no Uruguai: quem são os brasileiros por trás da maconha

Mas como o Uruguai não comportaria todos os maconheiros tupiniquins, a luta seguiu no Senado com a realização de uma audiência pública que debateu a descriminalização do cultivo caseiro de maconha.

Descriminalização do cultivo caseiro de maconha é debatido na CDH do Senado

Fora do Senado, a maconha medicinal também continua avançando e na Bahia, cidade de Salvador, médicos e profissionais de diversas áreas criam a Cannab – Associação para Pesquisa e Desenvolvimento da Cannabis Medicinal no Brasil, com o intuito de pesquisar a maconha em seus efeitos medicinais e fornecer o medicamento à base de cannabis aos pacientes que dele necessitam.

Cannab: Salvador cria associação para atender a pacientes da maconha medicinal

 

Novembro

Denver rebate argumentos falaciosos do Movimento Brasil Sem Drogas ~ Avançam as pesquisas com maconha medicinal ~ Decisões judiciais favoráveis ~ Policiais plantam e defendem a regulamentação da maconha ~ Petecão também faz feio ~ Legalização traria alívio a pacientes e aqueceria a economia ~ Pot in Rio 5

Médicos, psicólogos, pedagogos e parentes de pessoas que fazem o uso medicinal da maconha relataram os benefícios terapêuticos do uso da cannabis e defenderam a urgente liberação do cultivo para consumo próprio, durante audiência pública da SUG 25. Entre os presentes estava Andreia Salles de Souza, do “Movimento Brasil Sem Drogas”, que alegou trabalhar no movimento usando dados e fontes, porém a mesma usou uma série de argumentos e dados falaciosos e questionáveis e citou a política de drogas do Colorado, EUA, como exemplo para justificar seu discurso leviano. Mas não ficou por isso, diante de tanta desinformação, o Programa de Políticas Públicas de Cannabis de Denver, no Colorado, rebateu através de carta aberta os argumentos utilizados pela proibicionista.

Argumentos do Movimento Brasil Sem Drogas são rebatidos por funcionária da prefeitura de Denver

Fugindo do retrocesso proibicionista e voltando à realidade, um estudo realizado pela AMA+ME – Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal, em parceria com a empresa CBDRx, sediada no Colorado (EUA), em crianças com o Transtorno do Espectro Autista revelou melhoras surpreendentes dos sintomas, principalmente das crises convulsivas, graças ao uso do canabidiol.

Quando a maconha é uma saída para a vida

Um outro estudo mostrou que o THC pode cortar a fissura causada pelo álcool. O resultado do estudo feito pela Unifesp reforça o potencial da cannabis como tratamento para o alcoolismo e outras dependências químicas.

THC pode cortar fissura causada por álcool, diz estudo da Unifesp

No campo da Justiça, mesmo com o senador Petecão rejeitando a descriminalização do cultivo em relatório contrário à #SUG25, a maconha para fins terapêuticos segue vencendo. Mais uma autorização, para importar sementes e cultivar em casa, foi dada pela justiça do Rio Grande do Norte à família de uma idosa que sofre de Parkinson. E na Paraíba, a decisão de uma juíza autoriza que associação cultive maconha para fins terapêuticos.

Família de idosa no RN obtém liminar para cultivar maconha em casa

Como já falamos, regulamentando ou não, o usuário cultivador sempre continuará existindo. Ledo engano de quem acredita que a maconha é uma erva de jovens desocupados e o artigo abaixo ilustra bem isso: policiais plantam e defendem a legalização da maconha!

Conheça alguns policiais que plantam e defendem a regulamentação da maconha

Parece que o mês de novembro foi o período do ano em que mais os proibicionistas foram desmascarados em seus argumentos falsos que sustentam a proibição. Teve de Osmar Terra a representante de movimento proibicionista passando aperto e, claro, o Senador Petecão não ficou de fora.

Relatório do Senador Petecão sobre maconha usa dados corretos?

Pode parecer que a legalização só será benéfica a um ou outro, mas segundo um estudo recente quase 1 milhão de brasileiros poderiam se beneficiar com o tratamento à base de maconha, caso o uso fosse legalizado. A mudança também movimentaria R$ 4,5 bilhões, apenas nos três primeiros anos.

Maconha prescrita poderia beneficiar milhares de brasileiros

E uma prova disso no mês de novembro foi a 5ª edição do Pot in Rio, um dos principais eventos de maconha no país. Com diversos estandes, marcas, personalidades e atores da cena canábica, o evento foi Sensacional, como bem disse o Dr. André Barros, e reuniu 5 mil pessoas numa tarde de domingo no Rio de Janeiro.

Pot in Rio 5: como foi a minha primeira vez numa feira canábica

Dezembro

Uruguai é exemplo para o mundo ~ México, Nova Zelândia e Paraguai avançam nos direitos para o uso medicinal ~ OMS reconhece valor medicinal da maconha ~ Cultivo de maconha vira Projeto de Lei no Senado ~ Planet Hemp: A Vitória não virá por acidente ~Apoio dos brasileiros à descriminalização da maconha bate recorde

2017 chega aos seus últimos dias com grande movimentação. Enquanto o Uruguai está provando ao mundo que a legalização da maconha é a melhor solução para combater efetivamente o tráfico de drogas. No Paraguai , o governo aprova projeto de lei que legaliza o cultivo de maconha para fins terapêuticos.

Legalização da maconha prospera e enfraquece narcotráfico no Uruguai

O México vai regulamentar a venda de produtos à base de maconha e a Nova Zelândia apresenta projeto de lei que visa proteger pacientes que utilizam a cannabis.

Nova Zelândia altera leis para cultivo e uso de maconha terapêutica

Organização Mundial de Saúde reconhece o valor terapêutico da maconha e afirma que seu uso não causa dependência.

OMS reconhece o valor terapêutico do CBD e afirma que composto não vicia

Em um país onde quase 10% dos usuários de maconha ficam 12 horas sob o efeito da erva e polícias serão submetidos a exames toxicológicos, não que isso seja ruim ou bom, a proposta legislativa que pede a descriminalização do cultivo de maconha foi salva graças à pressão popular e o voto em separado da Senadora Marta acompanhada de outros senadores que fez a #SUG25 virar o PLS 574 de 2017.

Cultivo de maconha para fins terapêuticos é aprovado no Senado

O Projeto de Lei do Senado de número 514, de 2017, pode descriminalizar o cultivo caseiro de maconha para fins terapêuticos no país. É pouco se comparado aos problemas enfrentados por causa da política de drogas?

Sim, é pouco! Mas já é uma vitória para as milhares de pessoas que dependem da maconha para tratamentos terapêuticos em todo o Brasil e seu apoio pode mudar a vida de muitos pacientes brasileiros!

Vote SIM no Projeto de Lei do Senado para descriminalizar o cultivo de maconha

Como diz o título do mini-doc que narra a trajetória do Planet Hemp, desde sua prisão na década de 90, e mostra como a prisão da banda acelerou o debate no país: “A Vitória não virá por acidente”!

Planet Hemp: “A Vitória Não Virá por Acidente” narra trajetória da banda desde sua prisão

Faltando 3 dias para começar 2018, o título do documentário se comprova com os números revelados na última pesquisa do Datafolha.

O apoio dos brasileiros à descriminalização da maconha cresceu e chegou ao maior patamar da série histórica, iniciada em 1995, segundo pesquisa do Datafolha. Agora, 32% da população é a favor da descriminalização, sendo que nos anos 90 eram 17% e em 2012, 20%.

Descriminalização da maconha registra apoio recorde no Brasil

Estávamos certos, não acha? Foi um ano e tanto! Agora é a vez de 2018 dar passos mais largos em busca da legalização. Até logo, daqui há exatas 365 oportunidades de um ano incrível, verde, esfumaçado e muito mais #NORMALIZE!

No melhor estilo João Kléber “Para, para, para; Para tudo aí”! Se você chegou até aqui, então pôde ver o quanto noticiamos e normalizamos a maconha em 2017. Em 2018 queremos ir além em nosso trabalho diário de disseminar a cultura canábica e, para isso, contamos com o seu apoio nessa iniciativa. Sem precisar abrir mão daquela seda, com apenas 1 real você estará fazendo a diferença. Saiba como abaixo:

Apoie a Smoke Buddies e ajude a propagar ainda mais a cultura canábica

Retrospectiva canábica bolada a seis mãos: Dave Coutinho, Lucas Tavares e Joel Rodrigues.
Ilustração de Capa: Smoke Buddies