Popeye, você não me engana

Nego, tua latinha não tem espinafre coisa nenhuma. Você é marinheiro e agora eu liguei os pontos. Seu danado. Veio de navio comendo mato de Bob até dizer chegar, heim?

Pra quem não sabe do que estou falando, vou contextualizar. Me dá licença, Popeye: Em 1988 diversas latas recheadas de maconha foram encontradas nas praias fluminenses. A história que contam é que um navio saído de Cingapura, quando foi descoberto, eliminou toda a sua carga de drogas em pleno mar. As latinhas de maconha nadaram tranquilamente até o Rio de Janeiro.

Alguns dizem que o objetivo das latinhas era disfarçar a entrada de cocaína no Brasil, outros dizem que foi Jah que enviou. Boto mais fé na primeira opção.

Olho pra tu, Popeye, cê abre a lata, come o verde e fica pronto pro rolê. Cara, isso você não conseguirá esconder mais. E essas tattoos de maconheiro? E esse cachimbo pronto pra receber uma porção não-dichavada?

Fico é admirado com a quantidade que você põe pra dentro. Meu caro, da última vez que fumei o equivalente a uma lata de espinafre, dormi seis dias seguidos. Sonhei que Michael Jackson ensinou Bob Marley a dançar e que TuPac riu de uma piada do Bussunda.

Tinha uma coisa pra te falar, mas a real é que tem outra coisa mais importante: Olívia, já entendi sua paixão pelo cara. Deve realmente ser uma maravilha fumar um em pleno alto mar e dar uma transada na proa do navio. Sumemo, fia. Tem que fazer o corre do prazer.

Enquanto isso, aguardo as latinhas que possam surgir nas praias de Santos e Praia Grande. Eu sou o marinheiro Chap Chap. Fu-fu.

lazy placeholder Popeye, você não me engana

Sobre Chap

Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!
[mailpoet_form id="2"]
Deixe seu comentário