Maconha Inspiração: Transformando pontas em arte

maconha arte pontas baseado smoke buddies bagana Maconha Inspiração: Transformando pontas em arte

Sabe aquele ‘cemitério’ de pontas que muitas vezes tem seu conteúdo re-apertado e com o papelzinho que suja os dedos que sobra você nunca sabe o que fazer? Conheça o trabalho de Cliff Maynard e veja uma nova forma de reciclar a seda das suas pontas.

O americano Cliff Maynard aproveitou as pontas dos seus baseados de uma forma um tanto inusitada. Ao invés de jogá-las fora, resolveu reciclá-las, transformando-as em impressionantes quadros de pontas.

Uma pontao que sobra de um baseado, carrega muito THC e resina de diferentes tonalidades de marrom. E para mostrar que maconha também é inspiração, separamos alguns trabalhos de Cliff Maynard que, utilizando a técnica do mosaico, recolhe cada um desses simples pedacinhos de papel e os transforma em verdadeiras obras de arte.

De acordo com Cliff, “todos os meus trabalhos artísticos originais são feitos apenas de pontas e nada mais. Nenhuma caneta, ou qualquer tipo de tinta é utilizado durante o processo”. Tudo que o artista faz é travar as pontas e usar os pedaços de papéis como um quebra-cabeça. Apesar de parecer fácil, o processo é bem demorado.lazy placeholder Maconha Inspiração: Transformando pontas em arte

Aprenda em 4 passos a bolar umas artes iradas com todas as pontas dos melhores becks:

Você pode até não ser um amante da erva, mas se for da arte, o trabalho que você conhecerá a seguir é de tirar o fôlego:

Indica Rising Time Lapse

 

Revolution 420 Time Lapse

Enlightened Justice

 

Red Headed Stranger – Willie Nelson

Three Roses

Drama

The Farmer

#PraCegoVer: Fotografia de quadro em processo de elaboração, mostrando as mãos do artista e as várias pontas de baseados utilizadas na obra.

lazy placeholder Maconha Inspiração: Transformando pontas em arte

Sobre Dave Coutinho

Carioca, Maconheiro, Ativista na Luta pela Legalização da Maconha e outras causas. CEO "faz-tudo" e Co-fundador da Smoke Buddies, um projeto que começou em 2011 e para o qual, desde então, tenho me dedicado exclusivamente.