Legalizando o cinema brasileiro

 Legalizando o cinema brasileiro

Estréia em breve o longa metragem “Apto420″. Dirigido por Dellani Lima, o filme brinca com o gênero DocFic, que é a mistura de ficção com documentário.

 Legalizando o cinema brasileiroNão é de hoje que a maconha tem minutos de fama em algumas cenas do cinema brasileiro. Se você já assistiu, por exemplo, ao filme Árido Movie, vai se lembrar do ator Selton Mello filosofando sobre o ato de “bolar um”. Tem também algumas produções independentes, como o filme Quarta B de 2005, mas que dessa vez inverte os papéis e coloca a maconha como personagem central da trama. Seguindo essa mesma pegada, o cinema vai conhecer em breve o filme Apto420, dirigido pelo cineasta paraibano Dellani Lima, que mescla ficção com documentário, trazendo um conteúdo ativista e bem cuidado do ponto de vista cinematográfico.

A estreia do filme será no 12º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, que acontece entre os dias 26/7 e 02/8. Confira o teaser abaixo e compareça:

 Legalizando o cinema brasileiro

Brisando antes

O Smoke Buddies teve a oportunidade de assistir em primeira mão o Apto420. Gravado em 15 dias, em São Paulo, o filme conta a história de Djalma (interpretado por Henrique Zanoni), um jovem que busca ajuda para fazer um almanaque sobre maconha a partir de relatos que ouve de amigos e de conversas com pessoas reais ligadas ao movimento antiproibicionista brasileiro, como Henrique Carneiro, Cristiano Maronna, Edward MacRae, Rafael Zanatto, entre outros.

 Legalizando o cinema brasileiro

No set, o ator Henrique Zanoni conversa com o diretor Dellani Lima (à direita). Foto: página do filme Apto 420

Com uma fotografia simples, mas sem deixar de ser bem elaborada, o que mais ativou nosso sistema endocanabinoide enquanto assistimos ao filme foi a mistura ficção com documentário – que traz ao espectador uma experiência de viver a busca pela criação do almanaque com Djalma e ao mesmo tempo ser ouvinte de belas conversas pró-legalização. 

Outra brisa do filme é um personagem folclórico (Felipe Soares) que aparece algumas vezes durante o filme. Com diálogos em forma de monólogo, este personagem “azeita” a narrativa de forma bem criativa. O diretor Dellani nos contou que ele é uma “mistura de um caboclo do mato, um orixá, um pai de santo e um pouco do negro azeitão(negro azeitão é personagem de um livro proibicionista dos anos 40).

 Legalizando o cinema brasileiro

Uma das brisas do filme é o personagem folclórico interpretado por Felipe Soares. (Foto: página do filme Apto 420)

Veja mais fotos do longa metragem clicando aqui.

Fiquem ligados nas redes sociais do Smoke Buddies que em breve divulgaremos outros locais de exibição do filme Apto 420Plante Informação!

 Legalizando o cinema brasileiro

Sobre Leo Sativa

Produtor de conteúdo cannábico e fumador da @DjascoLibre – sativaleo@gmail.com