“Na extração sem solvente o pior cenário é molhar o chão”, diz criador das Bubble Bags

marcus bubbleman maconha extração Na extração sem solvente o pior cenário é molhar o chão, diz criador das Bubble Bags

Empreendedor canábico, ativista pró-maconha e responsável pelo nome de um dos mais populares métodos de extração: o Bubble Hash. Para entender como tudo começou e a segurança das extrações sem solventes, trocamos uma ideia com Marcus Bubbleman, que você confere a seguir.

Em 1998, depois de ter sido pego com mais de 7 quilos de cannabis e 6.000 dólares canadenses que mantinha para o BC Compassion Club Society, Bubbleman – sem multa e condenação – teve o dinheiro devolvido pelo juiz, mas saiu fichado. “Percebi que era hora de fazer algo que não me colocaria por 25 anos na cadeia”, contou Marcus.

Pensando em alternativas para ganhar a vida, Bubbleman ouviu falar sobre uma máquina da Europa desenvolvida para extrair a resina usando água e gelo (extrator gelado). “Soube que um kit de bags foi desenvolvido para recriar essa máquina, mas não fiquei muito impressionado com ele, então criei meu próprio kit. Comecei com três bags e, eventualmente, ampliei para um kit com oito modelos”.

SEM SOLVENTES, SEM EXPLOSÕES

À medida que os avanços da maconha percorrem o mundo, a cultura das extrações cresce a cada dia mais, principalmente no Brasil. Por aqui, publicamente ainda são desconhecidos os casos de explosões envolvendo métodos de extrações com solventes, mas basta uma rápida busca no Google para vermos que no exterior a história é bem diferente.

Solventes geralmente são explosivos “e muitas explosões, durante os processos de extração que envolvem solventes, levam pessoas a passarem meses em centros de recuperação para queimados. Isso é algo muito sério para quem não entende de extrações e gases voláteis”.

lazy placeholder Na extração sem solvente o pior cenário é molhar o chão, diz criador das Bubble Bags

#PraCegoVer: Macrofotografia de berlotas da extração, na cor âmbar, que leva o nome de Bubble Hash

Além da explosão, que podemos considerar como o maior perigo das extrações com solventes, devemos levar em conta o risco de falhas durante o processo de evaporação – para eliminação das substâncias tóxicas – que podem resultar na contaminação da extração, tornando inútil para fins terapêuticos. Conforme disse em entrevista ao Ganja Talks: “Nos métodos sem solventes, o pior cenário é um derramamento de água, enquanto com solventes, é uma explosão, o que pode ser extremamente perigoso”.

lazy placeholder Na extração sem solvente o pior cenário é molhar o chão, diz criador das Bubble Bags

#PraCegoVer: fotografia em primeiro plano de Marcus Bubbleman vestindo uma luva preta e fazendo sinal positivo no lado esquerdo da foto, e ao fundo uma prensa térmica durante um processo de extração sem solvente, onde se vê duas folhas brancas saindo, uma para cima e a outra para baixo, e entre as duas o concentrado amarelado que escorre em fios densos.

MOLHAR O CHÃO É O MAIOR PERIGO

“A extração realizada com água é muito mais segura para você e sua família, além de não ter o risco de incendiar a casa”, explica Bubbleman. O máximo que acontecerá será molhar o chão.  “A nível profissional, se as instalações estiverem funcionando corretamente, as extrações com solventes não serão tão perigosas com relação à explosão.”

Conforme os benefícios medicinais da maconha vão sendo descobertos e explanados, as pessoas começam a optar pelos extratos e concentrados em vez dos medicamentos tradicionais da Big Pharma.

Diante disso, quando questionado sobre o quanto poderia ser considerado o processo de extração sem solventes para fins terapêuticos, Marcus declara que “é o método caseiro mais seguro que existe, ao usar água e gelo com simples métodos com as Bubble Bags é possível produzir um produto incrivelmente limpo”, e também ressalta a importância da higiene dos equipamentos e da matéria-prima. “Isso tudo depende também da limpeza, obviamente que se você utilizar flores com pragas e mofo não ajudará muito. Mas quando se trata de pureza, eu diria que é o mais próximo do nível farmacêutico”.

lazy placeholder Na extração sem solvente o pior cenário é molhar o chão, diz criador das Bubble Bags

#PraCegoVer: fotografia frontal de oito bolsas coloridas, uma dentro da outra, com a bordas dobradas para fora e mostrando as etiquetas onde se lê “Bubble Bags”, formando uma torre que se sustenta sobre um balde azul, com uma etiqueta onde se lê “Bubble Bucket”, sendo as cores das bolsas, de baixo para cima, roxa, branca, amarela, preta, laranja, vermelha, verde e azul, sobre uma superfície de madeira. Ao fundo, fora de foco, uma paisagem formada por árvores, montanhas, algumas com com neve, e o céu azul repleto de nuvens. Créditos: Marcus Bubbleman.

UM CASO DE AMOR

Depois de ter fumado seu primeiro baseado aos 14 anos de idade, Marcus Bubbleman passou os últimos 30 anos da sua vida focado na maconha. “Foi um caso de amor imediato e eu sabia que passaria o resto da minha vida lutando pelos direitos de cultivar maconha para ser usada por toda humanidade”.

Ativista, empreendedor e fotógrafo de cannabis há mais de trinta anos, Marcus Bubbleman acumula um vasto conhecimento sobre o universo da maconha, que vai do cultivo de cânhamo industrial aos métodos mais avançados de extração sem solventes, passando pela macrofotografia de buds e concentrados.

lazy placeholder Na extração sem solvente o pior cenário é molhar o chão, diz criador das Bubble Bags

#PraCegoVer: peça publicitária mostra em dois quadros, um menor e um outro maior, a macrofotografia de uma flor de maconha repleta de tricomas brancos e sobre elas vemos caixas verdes com o seguinte texto em branco: “Extrações sem solventes com Marcus Bubbleman”.

Bubbleman acredita que o futuro da indústria dos concentrados e extrações canábicas “só vai ficar melhor e maior. Quanto mais pessoas se envolverem e começarem a produzir novos tipos de máquinas de extração, toda uma indústria vai surgir”, visiona Marcus. “Ser capaz de processar milhares de quilos de biomassa diariamente será importante para as pessoas que cultivam cannabis em larga escala”.

CURSO

Quer saber qual processo garante o produto mais concentrado em THC, CBD ou terpenos, e qual é a ciência por trás desses métodos? As respostas para essas questões e muito mais você pode conferir indiretamente com Marcus Bubbleman, na segunda turma do Curso de Extrações sem Solventes, promovido pela plataforma Ganja Talks University.

No curso, Bubbleman ensinará as técnicas e dicas para a produção de três tipos de concentrados: bubble hash, dry sift e rosin. Mas corre, porque as inscrições vão somente até o dia 21 de dezembro.

Colaboraram com este: Thais Ritli (Ganja Talks), Celso Junior e Joel Rodrigues.

Leia também:

Bubbleman: conheça o mestre das extrações e concentrados

#PraCegoVer: fotografia (capa) frontal e em ângulo superior de Marcus Bubbleman suspenso por cabos sobre as lâmpadas de cor amarelada que iluminam um cultivo de maconha. Crédito: Arquivo Pessoal

lazy placeholder Na extração sem solvente o pior cenário é molhar o chão, diz criador das Bubble Bags

Sobre Dave Coutinho

Carioca, Maconheiro, Ativista na Luta pela Legalização da Maconha e outras causas. CEO "faz-tudo" e Co-fundador da Smoke Buddies, um projeto que começou em 2011 e para o qual, desde então, tenho me dedicado exclusivamente.