Empresa canadense cultiva maconha hidropônica fertilizada com dejetos de peixes

hidroponia green relief Empresa canadense cultiva maconha hidropônica fertilizada com dejetos de peixes

No Canadá, uma empresa produtora de cannabis medicinal é a única no mundo a cultivar maconha hidropônica fertilizada com dejetos de peixes criados em um sistema fechado com as plantas. As informações são da Reuters, com tradução Smoke Buddies.

A improvável combinação de peixes de água doce e cannabis está produzindo descomunais plantações de maconha medicinal que a Green Relief Inc. pretende capitalizar, no momento em que a empresa canadense planeja uma listagem no mercado de ações e expansão global.

Em uma instalação subterrânea no sul de Ontário cercada por terras agrícolas, a Green Relief opera uma fazenda aquapônica de ponta, usando resíduos de peixes filtrados para fertilizar as plantas de cannabis, que por sua vez limpam a água para os peixes.

A empresa diz que é o único produtor licenciado do mundo a cultivar maconha medicinal dessa maneira, um processo livre de pesticidas que levou dois anos e meio para ser afinado. Os únicos sinais dessa operação, que foi construída em uma colina e isolada por cerca de um metro de terra e grama, são os equipamentos de ventilação saindo do chão.

“Esta é a agricultura do futuro”, disse Warren Bravo, um ex-empreiteiro de concreto que co-fundou a empresa com o amigo Steve LeBlanc em 2013. “Se você não está aderindo às tecnologias agrícolas sustentáveis ​​agora, você vai ser um dinossauro”.

O sistema de circuito fechado da Green Relief, que gera 6.000 tilápias e 4.500 plantas de forma contínua, utiliza 90% menos água do que a agricultura convencional, ao mesmo tempo em que fornece rendimentos 10-20% melhores que os métodos tradicionais, disse Bravo.

A cada cinco semanas, a Green Relief expurga um dos seus 16 tanques de peixes, doando cerca de 300 tilápias do tamanho de mercado para o Second Harvest, uma instituição de caridade alimentar que entrega o peixe à cozinha de um abrigo de sem-teto.

Uma expansão de C$ 60 milhões (US$ 45,9 milhões) está em andamento na base rural da empresa, próxima a Hamilton, a cerca de uma hora de carro a oeste de Toronto, o que acrescentará 15 a 20 mil quilos à produção anual. O projeto também inclui atividades de fabricação e embalagem, para processar as plantas de suas operações satélite.

Isso inclui um complexo de futebol de salão de mais de 30.000 metros quadrados recentemente adquirido em Hamilton, que produzirá cerca de 15.000 kg de maconha após um retrofit de C$ 9 milhões.

Com os parceiros, a Green Relief também está construindo instalações em Thunder Bay, Ontário e Halifax, na Nova Escócia, que produzirão cerca de 20 mil quilos anualmente, disse Bravo.

Apoiada até hoje, com cerca de C$ 18 milhões de investidores privados, a Green Relief está se preparando para listar na Canadian Securities Exchange, e possivelmente na Nasdaq, para ajudar a financiar seus planos de crescimento.

Uma oferta pública inicial é provável “dentro de meses”, dependendo das condições do mercado, e será construída sobre um financiamento atual que custa 100 milhões de ações a C$ 3,50 cada, disse Bravo. A Green Relief poderia quebrar mesmo dentro de meses e espera ser rentável este ano, acrescentou.

Bravo havia sido diretor-executivo até que, em janeiro, ele entregou o cargo provisoriamente a John Durfy, que tem experiência em mercados e investimentos.

Como acionista majoritário e diretor de desenvolvimento de negócios, Bravo está ocupado garantindo propriedades na Itália e na Austrália, ao mesmo tempo em que avança em joint ventures como uma aliança com as suíças Ai Fame e a Ai Lab.

“O Canadá está em uma posição muito privilegiada agora”, disse ele, referindo-se à liderança mundial do país na legalização da maconha recreativa em outubro de 2018. “Vamos assumir a liderança em uma nova indústria”.

(1 dólar americano = 1,3072 dólares canadenses)

Leia também:

Indústria da maconha é nova aposta de investimento no Canadá

#PraCegoVer: fotografia (de capa) em vista superior de uma grande plantação de maconha no interior da instalação subterrânea da empresa Green Relief; ao fundo pode-se ver vários tanques de água de cor azul ligados a encanamentos de cor branca.