É impossível morrer de overdose de maconha

baseado1 É impossível morrer de overdose de maconha

O que todo mundo já sabia agora a ciência explica: é impossível ter overdose de maconha. Isso porque as partes do cérebro responsáveis por nos manter vivos e respirando não possuem receptores endocanabinoides. Saiba mais no texto Suzana Herculano-Houzel* para a Folha de S.Paulo.

Vamos aos fatos: em séculos de uso reconhecido, não há um único caso de morte por overdose de maconha documentado. Unzinho sequer. Cocaína mata por hipertensão, ataque cardíaco e/ou “insolação” interna: o corpo assa por dentro. Deve ser uma morte horrível, agitada.

Heroína e outros opioides matam sorrateiramente, por parada respiratória: o circuito normalmente automático que cuida da respiração fica tão relax que para. Se o usuário notasse, poderia continuar respirando voluntariamente até o efeito passar, mas a esta altura a “tranquilidade” é tanta que o próprio nem nota a asfixia.

Leia: Quantas pessoas morreram por overdose de maconha após a legalização nos EUA?

 É impossível morrer de overdose de maconha

#PraCegoVer: fotografia de uma flor de maconha de um cultivador doméstico de São Paulo. Créditos: Felix Lima – Folhapress.

maconha?

Ganhei uma aula particular em visita recente à Escola de Medicina da Universidade de Maryland, onde trabalham alguns dos raros especialistas no assunto.

Aprendi que o THC, uma das substâncias na maconha, age sobre receptores que são idênticos em todo mundo —todos os humanos, além de outros bichos—, que por sua vez respondem a uma mesma substância produzida pelo corpo de todo mundo: anandamida, um derivado da gordura que compõe a membrana das células.

O que acontece se esses receptores universais forem bloqueados por “anti-maconha”?

Perda rápida de peso, abandono de vícios como cigarro, álcool e outras drogas… e um grande risco de depressão profunda, com pensamentos suicidas. Ou seja: de alguma forma ainda não compreendida (porque maconha é proibidíssima, então fazer pesquisa fica difícil), nossos canabinoides internos nos mantem felizes, interessados em comida e outros prazeres.

E aprendi também por que ninguém morre de overdose de maconha. O tal do receptor é abundante no córtex, no cerebelo, no estriado, regiões do cérebro que cuidam de percepção, atenção, coordenação.

Mas no bulbo do cérebro, que nos mantém vivos e respirando, não tem nadinha —além do núcleo que interessa, que reduz dor e enjoo. Como diz Fernando Gabeira, pra morrer de overdose de maconha, só se um saco de cinco quilos de maconha cair do décimo andar na cabeça de um passante.

*Suzana Herculano-Houzel é bióloga formada pela UFRJ e neurocientista treinada nos Estados Unidos, França e Alemanha.

Leia também: 1ª morte por overdose de maconha? Especialistas desmentem suposição

#PraCegoVer: fotografia da boca de uma pessoa com um baseado aceso.

 É impossível morrer de overdose de maconha

Sobre Smoke Buddies

O Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. http://www.smokebuddies.com.br