Clap, clap, clap Uruguai

Como seres humanos temos um terrível defeito: o poder, em geral, nos deixa malucos, viciados, perversos.

É realmente muito difícil se deparar com alguém que tenha acesso e poder de decisão sobre muitas pessoas e que use isso de forma totalmente imparcial. É muito difícil não levarmos nossas opiniões pessoais para a esfera profissional.

Se eu sou jornalista e sou fã do Barrichello, dificilmente farei uma matéria sobre profissionais que falharam e vou colocá-lo como ícone. Se eu sou apresentador de TV, religioso e contra as drogas, é muito difícil eu não querer influenciar o meu público com essa opinião particular.

E, até então, é basicamente isso que acontece na guerra contra as drogas. As pessoas simplesmente SE FECHARAM em suas opiniões, questionam pouco ou quase nada e isso se reflete no modo que a gestão pública encara a questão. Alguns – ou vários – Deputados, Senadores, Vereadores, Governadores e Ministros são extremistas na questão das drogas simplesmente porque não estudaram, não se interessaram, NÃO FUMAM.

Por isso, é bonito demais ver a proposta Uruguaia de governo. Eu não sou um profundo conhecedor da causa, mas o presidente José Mujica é conhecido por aí como ‘o presidente mais pobre do mundo’. Mora numa casa bem velha, anda de Fusca e doa 90% do seu salário. Realmente não sei afirmar, por falta de ambiência, se isso é uma grande hipocrisia. Não me parece.

José Mujica conseguiu tomar partido numa questão em que o resto do mundo ou é apavorado, ou ainda engatinha.

A MACONHA ESTÁ LEGALIZADA NO URUGUAI.

Aí você se pergunta: Mas, cara. Cê não ta esquecendo da Holanda, não?

Não. A Holanda permite a venda do produto em suas coffee shops, porém AINDA É ILEGAL a produção e compra do produto por parte do dono do estabelecimento. É bizarro, né?

No Uruguai TODA a cadeia está legalizada.

E porque a medida não é populista? Porque o projeto de legalização é rejeitado por 63% da população. Mujica quer diminuir o poder do narcotráfico e ‘peitou’ seus cidadãos – a maioria, com certeza, mal informado – para evitar preocupações futuras com a criminalidade. O Uruguai não é um país violento, mas as taxas têm aumentado ano a ano.

Preparar nuestro español. Un aplauso a este presidente valiente y una pregunta: ¿Cuánto cuesta un billete de avión para hacer un recorrido por allí?

lazy placeholder Clap, clap, clap Uruguai

Sobre Chap