Carnaval Canábico 2018: Blocos e dicas para curtir a folia da maconha

carnaval canabico 2018 normalize smokebuddies Carnaval Canábico 2018: Blocos e dicas para curtir a folia da maconha

Carnaval para uns é simplesmente folia, mas para outros é luta e militância em forma de arte. Engana-se quem pensa que com confetes e marchinhas satirizando a nossa realidade não se faz política. Confira abaixo as dicas e lista de blocos, separe o confete, glitter, serpentina, muita alegria e cole no seu bloco canábico favorito.

Ledo engano se você acha que com folia não se faz política. “O Carnaval sempre foi um ato político. Na Primeira República, a população negra utilizou o Carnaval para afirmar sua autonomia. Hoje é um grande espaço de crítica política e social. No Carnaval, o humor e o sarcasmo funcionam como arma de transgressão política. A brincadeira é uma forma de manifestação”, segundo a explicação de Eric Brasil, autor do livro “A corte em festa: experiências negras  em carnavais do Rio de Janeiro”, publicado em artigo do The Intercept Brasil.

Transformando desde sempre o palco da folia em espaço para manifestação política, a maconha já está inserida neste circuito de purpurinas e batidas desde a década de 70, com o pioneiro bloco canábico “Segura a coisa que, com seu hino criado pela cantora Miúcha Buarque (Quero me perder / Quero me encontrar / Perto de você / Quando a loucura começar), desfila pelas ladeiras de Olinda, Pernambuco, na quarta-feira de cinzas, desde 1975.

Como carnaval, história e maconha andam juntos, com cada vez mais adeptos caretas ou não, relacionamos abaixo algumas dicas e os blocos canábicos libertários espalhados pelo Brasil:

SEGURA A COISA [OLINDA – PE]

Tal como um baseado, a divulgação do desfile do Bloco Segura a Coisa corre somente de boca em boca, mas o ponto de partida, dia e hora são os mesmos há anos. Desde 1975, o Segura a Coisa entoa e normaliza a maconha através do hino composto por Miucha Buarque: “Segura a coisa; Que eu chego já; Eu tenho que pular; Quero me perder; Quero me encontrar; Perto de você; Quando a loucura começar!”

 Carnaval Canábico 2018: Blocos e dicas para curtir a folia da maconha

Desfile Planta na Mente 2017, cortejo entre Fundição Progresso e Circo Voador, com os Arcos da Lapa ao Fundo – Foto: Phill Whizman.

PLANTA NA MENTE [RIO DE JANEIRO – RJ]

Com uma mistura de folia, gritos de ordem e legalização, o Planta na Mente arrastou na folia de 2017 mais de 40 mil pessoas em um desfile completamente NORMALIZE e neste ano promete muito mais.

Com desfile marcado para quarta-feira de brasas (14), concentrando a partir das 14h20, nos Arcos da Lapa, o Planta embalará mais um mega evento pela normalização e regulação da maconha.

CORDÃO DO BOLA PRESA [ATIBAIA – SP]

O Cordão do Bola Presa libertou Atibaia das amarras da proibição e vêm normalizando a cultura canábica no período de folia desde 2014, repetindo a dose ano após ano. Organizado pelo coletivo Alterando a Consciência, o Cordão da Bola Presa ganha as ruas inúmeras vezes no calendário de folia de Atibaia.

Acesse a página do coletivo Alterando a Consciência e do Cordão no facebook e saiba mais sobre sua programação. Clique aqui: Cordão da Bola Presa.

BLOCO KAYA NA GANDAIA [SÃO PAULO – SP]

Puxado pela Bateria Destemida do Forte, o Bloco Kaya na Gandaia promete sacudir a Madalena em ritmo de samba-reggae e ijexá, tocando seus arranjos carnavalescos para clássicos de Bob Marley e do reggae nacional, além de homenagens aos blocos afro de Salvador. Este ano o bloco também sai cantando sua primeira composição autoral, a homônima: KAYA NA GANDAIA!

Fundado com a proposta de homenagear e tocar os clássicos de Bob Marley em ritmo de samba-reggae, o bloco realizou sua primeira apresentação no carnaval de rua de São Paulo, na Vila Madalena, em 2013. E neste ano o bloco e seus foliões caem na gandaia no sábado, dia 17, contagiando as ruas de SP com muito balanço e todo o suingue da conexão entre Brasil e Jamaica. 

DICAS PARA UM CARNAVAL NORMALIZE

O carnaval é conhecido por ser um período de muita festividade e folia. É, também, uma época marcada pela quantidade de acidentes, abusos, excesso de bebida alcoólica e negligências, além de muita sequela que pode estragar a sua festa. Por isso separamos algumas dicas para você curtir o seu bloquinho favorito sem bad trip.

– NÃO É NÃO!

Em pleno 2018 repetir isso chega a ser redundante. O Não nunca será um “talvez”, “quem sabe” e muito menos o “sim” que se deseja. Seja respeitoso, tudo começa com o olhar e não com o toque. O carnaval pode ser pretexto para beijos, flertes, pegação, sexo e muito mais, mas desde que tudo seja consensual, carinhoso e com muito respeito.

Viu alguma cena de assédio, não ignore. A pessoa desconhecida de hoje pode ser uma conhecida sua no futuro. Depois do não, tudo pode virar um crime.

– RESPEITO É TUDO!

Machismo, homofobia, transfobia e qualquer outro tipo de atitude agressiva e preconceituosa deve ser policiada e nunca ignorada.

– USE CAMISINHA

Parece óbvio, mas a euforia misturada à alegria, e outras coisas a mais, faz com que muitas pessoas esqueçam de se proteger. Sempre use camisinha na hora do sexo para se prevenir das DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis). A responsabilidade de se proteger é sua, ande sempre com camisinhas no bolso e bolsa.

– TÁ COM SEDE? 

Beba Água! Faz bastante calor nesta época e é essencial manter a hidratação em dia. Principalmente para os adeptos de bebidas alcoólicas: entre um goró e outro, beba uma garrafinha d’água.

 Carnaval Canábico 2018: Blocos e dicas para curtir a folia da maconha

Maconheiro se hidratando. Makaña – Apresentador do Jornal da Maconha – Desfile do Planta na Mente 2017 – Foto: Dave Coutinho.

– USE FILTRO SOLAR! 

Como já dizia Pedro Bial, “nunca deixem de usar filtro solar!”. Você pode achar frescura, mas o protetor solar é importante a curto e a longo prazo. A pele é algo que merece mais que glitters e purpurinas, merece é atenção. A preocupação de hoje é para evitar a pele queimada, ardida e até um câncer.

– SE ALIMENTE MAIS E BEBA MENOS!

Mesmo diante de tanta alegria e empolgação, não pule uma refeição sequer. Café da manhã, almoço e jantar são fundamentais para dar aquela energia que você necessita, e durante os bloquinhos não abra mão de uma boa larica acompanhada de um geladíssimo suco de frutas. Nada, ou quase nada, de bebida alcoólica. Estudos já comprovaram que o álcool é 114 vezes mais perigoso que a maconha, assim, diante de uma forte cultura cervejeira, sugerimos que beba menos e divirta-se mais. E se for beber não dirija! 

– MAIS CONFORTO E SEGURANÇA

Mesmo que o look tenha que sair um arraso, use roupas leves e sapatos confortáveis para não atrapalhar a folia. Leve apenas o necessário: identidade, mas ninguém pode ser preso por estar sem (nesse caso, deve-se informar nome do pai, da mãe e data de nascimento), cartões de débito e transporte e nada de muito valor. Deixe o celular caro em casa, dê preferência para os cartões de transportes coletivos e de débito ao dinheiro. E lembre-se, tudo entocado, vale até adotar a moda da pochete e sempre na frente do corpo!

 Carnaval Canábico 2018: Blocos e dicas para curtir a folia da maconha

Conforto e “‘pochetinha” para garantir os itens pessoais, como identidade, cartões e dinheiro – Planta na Mente 2017 – Foto: Dave Coutinho.

– PRA FAZER A CABEÇA TEM HORA?

Se segura malandragem que para fazer a cabeça tem hora. Principalmente em época de carnaval, quando as fantasias se misturam ou escondem as reais profissões de cada um. Então a dica é válida, como já cantava Bezerra “se segura malandr(x) que pra fazer a cabeça tem hora”. Evite utilizar na presença de crianças e olhos sempre abertos, infelizmente a maconha ainda não é vista com a normalidade que desejamos. Usar não é crime e muito menos olho vermelho, mas sim o fato de adquirir, guardar, transportar ou trazer consigo drogas classificadas como ilícitas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Carnaval Canábico 2018: Blocos e dicas para curtir a folia da maconha

E se o bagulho apertar, procure caras como esse: Dr. André Barros, Advogado da Marcha da Maconha, dos cultivadores, usuários, membro fundador do Planta na Mente, Baterista e colunista da Sb – Planta na Mente 2017 – Foto: Dave Coutinho.

No decorrer de alguns anos, nós do Smoke Buddies pudemos registrar que Carnaval e Maconha se misturam muito bem e que a combinação rende boas brisas e até quem não usa acaba enxergando como algo normal. Assim, deixamos o nosso apoio aos blocos libertários pelo trabalho de normalização da maconha e sua cultura, certos que estaremos sempre na torcida e desejando que apareçam mais registros de movimentações canábicas no Carnaval.

Se você fizer parte de um bloco da maconha ou conheça algum que não saiu aqui, envie para a gente através do e-mail contato@smokebuddies.com.br ou comente abaixo.

E se na sua região ainda não tiver um bloco canábico, reúna a galera do Gererê, se inspirem nas Marchinhas do Planta e outros blocos e aproveitem essa festa subversiva que é o carnaval para normalizar a maconha e gritar pela regulamentação da planta.

Fotografia de capa: Phill Whizzman | Desfile Planta na Mente 2017.

 Carnaval Canábico 2018: Blocos e dicas para curtir a folia da maconha

Sobre Dave Coutinho

Carioca, Maconheiro, Ativista na Luta pela Legalização da Maconha e outras causas... um dos responsáveis e 'faz-tudo' do Smoke Buddies.