Casa de cânhamo feita em impressora 3D pode revolucionar a bioconstrução

casa de canhamo impressora 3d Casa de cânhamo feita em impressora 3D pode revolucionar a bioconstrução

A união da natureza à tecnologia pode revolucionar o modelo de construção verde. A empresa australiana Mirreco está aproveitando o poder do cânhamo e a eficácia da impressão 3D para criar soluções acessíveis à vida ecológica.

Em meio à enxurrada de manchetes sobre a legalização da maconha, novos produtos e inovações, o cânhamo é o que recebe menos publicidade, mas este setor, que muitas vezes não é identificado como parte da indústria canábica, é uma parte importante da “revolução verde” que está acontecendo ao redor do mundo.

Com a cannabis legalizada, muitas empresas estão renovando seu interesse para a ampla aplicabilidade industrial do cânhamo. E uma empresa com sede na Austrália, a Mirreco, está trabalhando para tornar o cânhamo a matéria-prima na construção de casas, em um futuro não tão distante.

Da fazenda para a casa: empresa prevê moradias ambientalmente sustentáveis feitas de cânhamo.

A Mirreco está emergindo como líder na indústria do cânhamo que está se desenvolvendo rapidamente.

Segundo artigo publicado na HighTimes, a empresa desenvolveu uma máquina especializada para o processamento de plantas de maconha que pode separar componentes da planta, como fibras e sementes.

A empresa, sediada em Perth, quer criar uma frota de máquinas que, uma vez móveis, poderiam viajar para locais de cultivo e processar o cânhamo no local.

A empresa anunciou recentemente seus planos de levar o processamento de cânhamo muito mais longe. A Mirreco desenvolveu uma maneira de fabricar painéis de construção a partir da biomassa de cânhamo.

Com a tecnologia de impressão 3D, os construtores poderiam projetar sob encomenda painéis de biomassa de cânhamo para criar residências habitáveis e outras estruturas.

Leia: Cânhamo, o futuro da construção

Por dentro das novas casas de cânhamo impressas em 3D

Para demonstrar as capacidades de seus painéis inovadores de construção de biomassa de cânhamo, a Mirreco fez uma parceria com a firma australiana de arquitetura Arcfoms.

A empresa descreve os painéis de cânhamo como “estruturalmente sólidos e fáceis de produzir” e afirma que eles “fornecem desempenho térmico superior” em comparação com materiais de construção típicos. É claro que as empresas industriais de cânhamo sabem há algum tempo sobre os méritos do material originário da planta.

Mas a inovação da Mirreco vem do uso da tecnologia de impressão 3D para transformar seus painéis de biomassa de cânhamo em casas totalmente habitáveis. “Apenas imagine viver e trabalhar em prédios que são impressos em 3D e estão disponíveis para entrar em apenas algumas semanas”, disse em anúncio.

Em um post no Instagram mostrando as imagens mais recentes do protótipo da casa de cânhamo, a Mirreco descreve as casas como uma solução na redução do carbono. As residências contam com tecnologia inovadora, incluindo janelas que convertem a luz do sol em energia elétrica.

Casas de cânhamo podem oferecer uma solução importante para os principais desafios ambientais

As emissões de gases do efeito estufa, incluindo o dióxido de carbono, estão aumentando rapidamente em todo o mundo devido à atividade humana. Encontrar maneiras de reduzir essas emissões e removê-las da atmosfera são grandes desafios ambientais para um planeta que espera evitar as piores consequências da mudança climática.

E o cânhamo pode ajudar. Antes mesmo de se tornarem produtos industriais, as culturas de cânhamo já ajudam a sequestrar e armazenar o dióxido de carbono no ar. Em outras palavras, as culturas de cânhamo removem CO2 da atmosfera.

Além disso, os materiais de biomassa de cânhamo deixam uma pegada ambiental muito menor do que os materiais de construção sintéticos e, graças às inovações em toda a indústria, já estão superando o desempenho de suas contrapartes sintéticas.

Casas com impressão 3D já estão planejadas para serem construídas na Holanda. O Projeto Milestone construirá cinco casas sustentáveis, impressas em 3D, feitas de concreto. Residentes da cidade holandesa de Bosrijk poderiam se mudar para as primeiras residências com impressão 3D habitáveis ​​até o ano que vem.

Em vez de usar concreto, a Mirreco espera que projetos de construção como a Milestone usem biomassa de cânhamo como o protótipo Arcforms.

Leia também:

Cânhamo: os lares que a planta da Cannabis construiu

#PraCegoVer: ilustração de capa de uma maquete eletrônica da casa feita de cânhamo em impressora 3D.

lazy placeholder Casa de cânhamo feita em impressora 3D pode revolucionar a bioconstrução

Sobre Dave Coutinho

Carioca, Maconheiro, Ativista na Luta pela Legalização da Maconha e outras causas. CEO "faz-tudo" e Co-fundador da Smoke Buddies, um projeto que começou em 2011 e para o qual, desde então, tenho me dedicado exclusivamente.