Agência Pública oferece microbolsas de R$ 7 mil para reportagens sobre maconha

 Agência Pública oferece microbolsas de R$ 7 mil para reportagens sobre maconha

A 7ª edição do Concurso conta com o apoio do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes (CESeC) e foi criado para estimular e qualificar os debates sobre política de drogas no Brasil. Ao todo, serão 4 bolsas para repórteres independentes produzirem reportagens investigativas sobre os diversos aspectos da maconha. As inscrições podem ser feitas até o dia 29 de abril.

Maconha é coisa séria – ainda mais quando é hora de informar a sociedade sobre os reais aspectos da erva. Pensando nisso, a Agência Pública abriu as inscrições para o 7º Concurso de Microbolsas, feita com o apoio do CESeC (Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Candido Mendes), que oferecerá bolsas de R$ 7 mil para jornalistas independentes que investigarem o tema da planta como deve ser feito: com seriedade, transparência e verdade.

Com o objetivo de estimular e qualificar os debates sobre a política de drogas e as substâncias em si, o Concurso ofecerá 4 bolsas para as melhores pautas de investigação sobre o tema da maconha. Além disso, também é um grande incentivo para os jornalistas das terras tupiniquins a produzirem matérias que levem para a sociedade a verdade sobre a produção, uso recreativo e medicinal, história do uso e da criminalização da planta.

Segundo Natalia Viana, co-diretora da Pública, “queremos reportagens que encarem de maneira séria, profissional e investigativa a droga mais utilizada no país, cujo status como ilegal está em debate em todo o mundo – inclusive no Supremo. Discutir aspectos relevantes sobre o uso das drogas precisa deixar de ser um tabu. É papel do jornalismo abordar todos os temas que impactam a sociedade”.

Desde 2014, quando foi realizada a primeira edição do Prêmio Gilberto Velho Mídia e Drogas, o CESeC vem se dedicando a estimular uma participação maior e mais qualificada da mídia no debate público sobre políticas de drogas. A imprensa pode contribuir muito para reduzir o predomínio de visões preconceituosas e equivocadas sobre as drogas, que continuam a alimentar políticas ultrapassadas e ineficazes”, diz a coordenadora do CESeC, Julita Lemgruber.

Os jornalistas têm até o dia 29 de abril para inscreverem nesse link com pré-apuração de pauta, fontes a serem entrevistadas e qual será o formato da reportagem. Para conferir o regulamento completo do concurso, é só acessar esse outro link. A partir do dia 8 de maio, os escolhidos pelas diretoras da Pública, Marina Amaral e Natalia Viana, e pela coordenadora do CESeC, Julita Lemgruber, serão anunciados no site da Agência Pública. Toda a produção será acompanhada pela Agência e devem ser publicadas a partir do mês de julho.

Esse debate é vital para que o tema seja tratado com a seriedade e transparência que ele merece. Nosso lema dentro do portal sempre foi que a informação é a melhor arma contra a proibição – uma visão que está em nossa DNA e que colocamos como meta diária para a produção e divulgação de notícias que falam do tema da maconha sem tabus e com verdade. O Smoke Buddies declara seu total apoio a esse e outros projetos do tipo. Jornalistas, participem!